Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Corpos de duas crianças mortas em deslizamentos de terra em Mauá são enterrados nesta segunda

Defesa Civil interditou 24 imóveis na região; vinte pessoas estão abrigadas no Ginásio de Vila São João

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2019 | 11h41

SÃO PAULO - Os corpos dos irmãos Guilherme dos Santos da Vitória, de 4 anos, e José Henrique Santos da Vitória, de 7 anos, que morreram soterrados após desabamento de terra no último sábado, 16, no Jardim Zaira, foram enterrados às 8h30 desta segunda-feira, 18, no Cemitério Santa Lídia, em Mauá, na região do ABC.

Segundo a Prefeitura de Mauá, em 24 horas choveu 104 milímetros no município. A média para três dias é de 80 milímetros.

Por risco de novos deslizamentos de terra, a Defesa Civil interditou 24 imóveis na região. No Ginásio de Vila São João, que tem área de 500 metros quadrados, estão abrigadas apenas 20 pessoas, as outras famílias, cerca de 35, decidiram ficar em casa de parentes e amigos. Cerca de outras 30 famílias também estão recebendo assistência da Prefeitura mesmo que não estejam desabrigadas, mas que sofreram de alguma forma com as enchentes. 

Estado de saúde das vítimas

Talita dos Santos Silva, de 35 anos, permanece internada no Hospital das Clínicas Dr. Radamés Nardini, em Mauá, em estado estável. Ela realizou uma sutura no centro cirúrgico por um trauma de crânio encefálico leve e ultrassonografia obstétrica. 

A menina Tainá dos Santos Silva, de 11 anos, que sofreu escoriações, aguarda avaliação para alta médica.

José Santos da Vitória, de 41 anos, segue internado em estado de saúde estável. Ele teve uma fratura exposta na perna direita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.