REUTERS
REUTERS

Corpo é encontrado em trem de pouso de avião que partiu de SP

Aeronave da Air France fez o trajeto São Paulo-Paris na sexta-feira; cadáver foi encontrado durante manutenção

Andrei Netto, O Estado de S. Paulo

12 Janeiro 2016 | 15h21

PARIS - O corpo de um homem foi encontrado no domingo no compartimento do trem de pouso de um avião Boeing 777-300 da companhia aérea Air France. O avião, que estava em manutenção no Aeroporto de Paris-Orly, realizou no sábado um último trajeto entre Guarulhos e o Aeroporto de Roissy-Charles de Gaulle, em Paris, o que levou as autoridades a suspeitarem que possa se tratar de um brasileiro. Até a noite desta terça, o Consultado do Brasil na capital francesa ainda aguardava a confirmação.

O incidente foi verificado na tarde de segunda-feira, quando o avião foi transferido do aeroporto de Roissy para o de Orly, onde passou por uma bateria de operações de manutenção. Em nota oficial enviada ao Estado, a companhia aérea confirmou a morte. "A Air France confirma que um corpo foi encontrado no trem de pouso de um avião Boeing 777-300 durante um procedimento de manutenção", informou a empresa. "Não faremos nenhum comentário sobre a nacionalidade da vítima, nem sobre o país de procedência deste voo porque uma investigação foi aberta e está em curso pelas autoridades de aviação competentes."

O corpo foi descoberto por técnicos e, de acordo com experts em aviação da França, deve ter sido vítima de hipotermia ou de asfixia, por falta de oxigênio durante a viagem. A investigação está a cargo da polícia de transportes aéreos de Paris e o corpo ainda passava por análise no Departamento Médico Legal francês. A identidade e a nacionalidade, logo, permanecem desconhecidas. "A informação que temos é que ainda não foi feita a identificação da vítima", confirmou ao Estado a embaixadora Maria Edileuza Fontenelle Reis, cônsul-geral do Brasil em Paris. 

Mesmo em férias no Brasil, a diplomata está em contato com seus assessores, na expectativa de que se confirme a nacionalidade brasileira da vítima. "Ainda não se sabe quem é, nem qual é sua nacionalidade, inclusive. O Ministério das Relações Exteriores da França não nos procurou, nós é que os procuramos", ponderou. 

Incidentes como o ocorrido são raros, mas já aconteceram nos céus europeus. Em julho passado, um homem sobreviveu ao realizar o trajeto entre Johannesburgo, na África do Sul, e Londres, na Inglaterra, escondido no compartimento de trem de pouso de um avião da British Airways. Outro homem que viajava como clandestino na mesma aeronave não teve a mesma sorte. Ele despencou durante as manobras de aterrissagem e caiu sobre o telhado de uma empresa na periferia de Londres. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.