Corpo do estudante de 21 anos morto a facadas em festa na Unicamp é enterrado

Família de Denis Papa Casagrande, do segundo ano do curso de engenharia e controle de automação, da Faculdade de Engenharia Mecânica, cobrou segurança no campus

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2013 | 17h37

O corpo do estudante Denis Papa Casagrande, de 21 anos, morto a facadas durante uma briga em uma festa dentro do campus da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), foi enterrado na manhã deste domingo, 22, em Piracicaba, interior de São Paulo.

Em clima de comoção, familiares e amigos acompanharam o enterro no Cemitério Parque da Ressurreição. Um dos tios do aluno do segundo ano do curso de engenharia e controle de automação, da Faculdade de Engenharia Mecânica, Geraldo Papa, cobrou segurança no campus.

"Apesar de a festa não ter sido autorizada, se houvesse uma revista ou policiamento ninguém teria entrado com faca no campus", afirmou o tio. "Esperamos que culpado pelo crime seja penalizado."

Denis morreu no hospital depois de ser esfaqueado no abdômen em uma briga com punks, por volta das 3h30, na madrugada do sábado, 21. A Polícia Civil investiga se o autor do crime foi o atendente Anderson Marcelino Mamede, de 20 anos, que também foi esfaqueado na perna e está internado. O motivo da briga, segundo testemunhas disseram à polícia, foi ciúmes.

A festa que acontecia no Ciclo Básico da Unicamp foi organizada pela Rádio Muda - rádio clandestina montada dentro da universidade. Segundo a assessoria de imprensa da Unicamp, a festa não tinha autorização para acontecer no local.

Em nota, a instituição informou que a vigilância do campus chegou a acionar a Polícia Militar por causa da invasão do local pelos participantes da festa. A PM disse não ter o registro do chamado.

Na internet, amigos do estudante que moravam na mesma república fizeram uma homenagem ao jovem. "Lamentamos a perda de nosso irmão. Mais do que um morador, Piroca era um grande amigo de todos. Sua ausência diária será sentida por todos moradores. Desejamos que Deus conforte a família do Denis, dê força e fé para que consigam, não superar, mas suportar essa tragédia. Para os amigos fica a lembrança de sua fala engraçada, coçada na cabeça quando discutia algo e sua risada cativante. Vai com Deus amigo".

Mais conteúdo sobre:
Estudante mortounicamp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.