Corpo de passageiro que caiu no mar é localizado em Santos

Investigação sobre as causas da queda de transatlântico é conduzida sob sigilo pela Capitania dos Portos

Zuleide Barros, especial para O Estado de S.Paulo,

12 de fevereiro de 2013 | 12h53

O corpo do arquiteto Luciano de Lucca, de 30 anos, que caiu do 11º andar do navio MSC Fantasia no início da noite de sábado, foi encontrado na manhã de hoje, 12, por volta das 9h40. Ele foi localizado a uma distância de 500 metros do local do acidente, entre os armazéns 33 e 34 do Porto de Santos, no litoral de São Paulo.

 

Na ocasião da queda, o transatlântico estava atracado no armazém 32 e se preparava para zarpar com destino a Salvador, na Bahia, para um cruzeiro de Carnaval. A ocorrência mobilizou a Marinha e os bombeiros da região, que rastrearam as imediações do cais e já vinham ampliando o raio de buscas para as praias de Santos, Guarujá e Bertioga. Até um navio de resgate e patrulha do Rio de Janeiro, o Marlim, veio a Santos para ajudar no resgate.

SANTOS - Luciano caiu da varanda do navio a uma altura de 40 metros a partir do nível da água, no momento em que o transatlântico realizava uma manobra de desatracação. O arquiteto estava hospedado com amigos e a namorada, que no momento da queda se encontravam na piscina da embarcação.

A cabine ocupada pelo arquiteto foi interditada pela Polícia Federal, que investiga o caso. Os amigos não seguiram viagem. Segundo informou o capitão dos Portos do Estado de São Paulo, Marcelo Ribeiro de Souza, os tripulantes, os amigos de Luciano de Lucca e outras testemunhas começarão a ser ouvidas no sábado que vem, 16, quando o navio retorna a Santos.

O objetivo da Capitania é identificar as possíveis causas do acidente e o que teria provocado a queda do rapaz. Uma perícia foi realizada na noite de sábado na cabine, antes da embarcação partir para o cruzeiro de Carnaval. A investigação corre sob sigilo e tem prazo de 90 dias para ser concluída. Uma testemunha teria visto o rapaz cair, ocasião em que um tripulante teria lançado uma boia salva-vidas e abaixado um bote de emergência. A vítima, contudo, logo desapareceu nas águas, segundo a testemunha.

O corpo do arquiteto foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.