Corpo de operário morto em explosão de usina é resgatado

Outras 11 pessoas foram feridas durante o acidente com um raio em Canitar, a 345 km de São Paulo

José Maria Tomazela, do Estadão,

29 de setembro de 2007 | 17h18

Bombeiros e voluntários conseguiram controlar por volta das 4 horas da madrugada deste sábado, 29, as chamas que atingiam, desde a manhã de sexta, três reservatórios de álcool da Usina Ponte Preta, em Canitar, a 365 km de São Paulo. O corpo do operário morto na explosão, Luciandre Pavor, de 30 anos, também foi resgatado no dia do acidente.Luciandre abastecia um caminhão quando o tanque explodiu e foi envolvido pelas chamas. O corpo, carbonizado, foi levado em caixão lacrado para o necrotério de Ourinhos. O sepultamento foi realizado no início da tarde no cemitério da cidade, onde a vítima residia. Outras 11 pessoas ficaram feridas no incêndio, a maioria com queimaduras. Três vítimas continuavam internadas - uma na Santa Casa de Ourinhos, em estado estável, duas na Ala de Queimados da Santa Casa de Marília, em estado grave. O incêndio, que consumiu 8,9 milhões de litros de álcool, foi causado pela queda de um raio, segundo o Corpo de Bombeiros de Ourinhos. A descarga causou a explosão de um tanque e as chamas se alastraram para outros dois reservatórios. Depósitos e instalações da usina também foram atingidos.No total, 96 pessoas, entre bombeiros, policiais militares, integrantes de brigadas contra incêndios de usinas da região e voluntários, foram mobilizadas para combater o fogo. No início da tarde, bombeiros ainda trabalhavam no rescaldo do incêndio. A direção da usina informou que está prestando atendimento às vítimas e suas famílias.

Tudo o que sabemos sobre:
Usina de álcoolexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.