Corpo de mulher morta em explosão é velado em Santo André

Explosão matou o primo do dono da loja de fogos, Denian Castellani, de 41 anos, e deixou outros 12 feridos

Daniela do Canto, da Central de Notícias

25 de setembro de 2009 | 04h43

O corpo de Ana Maria de Oliveira Martins, de 58 anos, é velado desde a noite de quinta-feira, 24, na Igreja de Cristo Pentecostal no Brasil, na Rua Manuel Vaz, Vila Alzira, em Santo André, no ABC paulista. Ana Maria morreu na explosão de uma loja de fogos de artifício. Ela era empregada da família de Sandro Luiz Castellani, dono do local. A explosão também matou o primo de Sandro, Denian Castellani, de 41 anos, e deixou outras 12 pessoas feridas. Ana Maria será enterrada às 11 horas desta sexta-feira, 25, no Cemitério da Vila Curuçá, em Santo André, localizado na Rua Coreia.

 

Velório na Igreja de Cristo Pentecostal no Brasil; enterro será às 11h. Foto: Werther Santana/AE

 

Veja também:

mais imagens Galeria com fotos do acidente

mais imagens Foto mostra antes e depois da explosão

especialExplosão e tragédia - acidentes na última década

som Moradora de Santo André fala da explosão em loja

video Vídeo - Repórter fala da explosão em Santo André

especialTem relatos, fotos ou vídeos da tragédia? Mande para o Estadão no twitter

 

Duas pessoas morreram e 12 sofreram ferimentos leves na explosão, que destruiu um quarteirão na Vila Pires. A explosão aconteceu às 12h32, e provocou um tremor que pôde ser sentido num raio de 1,5 km. Cem pessoas ficaram desalojadas. Os bombeiros encerraram a procura por vítimas às 20h30.

 

Quatro residências foram destruídas e outras 30 tiveram vidros quebrados, portas arrancadas e rachaduras. A Defesa Civil bloqueou o acesso à rua, que ficou coberta de lama, por causa da chuva que caiu à tarde.

 

Texto ampliado às 11h15 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.