Polícia Civil
Polícia Civil

Corpo de menino desaparecido é encontrado após 15 dias no Rio Ribeira

Família reconheceu corrente e calção de Gabriel Lopes Coutinho; polícia investiga suspeita de assassinato do garoto de 8 anos

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2019 | 05h31

SOROCABA - Pescadores encontraram boiando no Rio Ribeira de Iguape um corpo que pode ser o do menino Gabriel Lopes Coutinho, de 8 anos, desaparecido desde o dia 11 de agosto, quando saiu de casa para empinar pipa, em Registro, no Vale do Ribeira, no interior de São Paulo. O corpo estava a 40 km do local do desaparecimento, mas familiares reconheceram como sendo de Gabriel uma corrente e o calção que vestia o cadáver. A criança estava com as mãos amarradas com uma corda, o que levou a polícia a considerar o caso como assassinato.

O corpo foi resgatado na tarde desta segunda-feira, 26, pelos bombeiros de Iguape, na região do bairro Jipovura. O cadáver foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Registro. O delegado Marcelo de Freitas, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), pediu exames de DNA e da arcada dentária para comprovar a identidade.

A mãe de Gabriel, Luciana Custódio, reconheceu o calção laranja e a correntinha que ela mesma havia dado ao filho. 

Com a confirmação do crime, o delegado voltará a ouvir possíveis envolvidos, incluindo o padrasto da criança, que chegou a ser considerado suspeito pelo desaparecimento de Gabriel. Ele foi visto levando uma criança em seu carro no dia em que o menino sumiu.

Gabriel saiu de casa na tarde do dia 11, um domingo, para empinar pipa em uma pracinha da Vila Ouro, bairro de Registro onde mora a família. Ele disse à mãe que voltava em uma hora, mas não retornou. As buscas foram iniciadas no dia seguinte, depois que a mãe denunciou o desaparecimento à Polícia Civil. 

A Polícia Militar mobilizou cães farejadores e até um helicóptero nas buscas. Um dos chinelos e a rabiola da pipa de Gabriel foram achados na trilha de uma área de mata. Imagens de uma câmera que mostram o padrasto de Gabriel com uma criança no carro ainda são analisadas pela polícia. Em seu depoimento, ele disse que outro menino, conhecido da família, estava no veículo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.