Luciano Bottini Filho/AE
Luciano Bottini Filho/AE

Corpo de garoto assassinado na zona leste de SP já chegou à Bolívia

Polícia ainda procura dois suspeitos de participar do assalto que terminou com a morte de Brayan, de 5 anos, em São Mateus; enterro será nesta terça

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

01 de julho de 2013 | 12h55

Atualizado às 19h08

SÃO PAULO - O corpo do boliviano Brayan Yanarico Capcha, o garoto de 5 anos morto em um assalto na sexta-feira, 28, em São Mateus, na zona leste de São Paulo, chegou à Bolívia no final da tarde desta segunda-feira, 1. O menino será enterrado na manhã desta terça, 2, no povoado de Takamara, a duas horas do centro de La Paz.

O voo partiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos às 14h35, com destino a Santa Cruz de La Sierra, onde fez escala e seguiu para a capital boliviana. O velório está previsto para começar ainda na noite desta segunda. O Consulado-Geral da Bolívia assumiu as despesas do translado, com apoio de uma companhia aérea.

"Nunca havia visto algo assim. Estou ainda assustado. Brayan pedia para voltar para Bolívia, estava acostumado mais com a vida lá", disse o pai, Edberto Yanarico Quiuchaca, de 28 anos, em uma coletiva de imprensa organizada no saguão do Aeroporto de Guarulhos, em agradecimento ao apoio recebido após o assassinato.

Ele e a mulher, Veronica Capcha Mamani, de 24 anos, tinham imagens de Brayan com frases pedindo justiça e reforma do Código Penal. Ambos dizem que não pretendem mais voltar ao País.

Acusados. Na tarde desse domingo, 30, foi detido o terceiro suspeito de ter participado do assalto. Ele é um menor de 17 anos. A polícia ainda tentou prender um quarto acusado, também adolescente, que conseguiu escapar. No sábado, 29, a polícia havia anunciado a prisão dos dois primeiros acusados: Paulo Henrique Martins, de 19 anos, e Felipe dos Santos Lima, de 18, o Tripa.

Em depoimento, o menor de idade teria dito que Diego Rocha Freitas Campos, de 20 anos, é o autor do disparo. A polícia ainda não localizou esse acusado e também procura outro suspeito, Wesley Soares Pedroso, de 19 anos.

O crime ocorreu na madrugada de sexta-feira, em São Mateus, na zona leste da capital. Um bando invadiu a casa em que vivia o casal de trabalhadores bolivianos. A família estava havia seis meses no Brasil - o casal trabalhava em um ateliê de costura. Incomodados com o choro da criança, bandidos atiraram na cabeça de Brayan.

 

Mais conteúdo sobre:
ViolênciaBrayanboliviano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.