Corpo de ator é resgatado em rio no interior de SP

Rapaz nadava num lugar de pouca correnteza quando desapareceu num poço com seis metros de profundidade

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo,

18 de dezembro de 2007 | 19h25

O corpo do ator Leonardo Magalhães Araújo, o Léo Araújo, de 37 anos, que estava desaparecido desde sábado, 15, foi resgatado no final da tarde de segunda-feira nas águas do rio Pardo, em Santa Cruz do Rio Pardo, a 375 quilômetros de São Paulo. Ele era o ator principal da peça Os Crimes do Preto Amaral, encenada na cidade pelo grupo Pessoal do Faroeste. Araújo nadava num lugar de pouca correnteza, conhecido como "paredão", quando desapareceu num poço com seis metros de profundidade. Ele estava na companhia da atriz Graciana Magnani, filha do ator Umberto Magnani, que integra o elenco. Os outros atores tinham descido o rio numa bóia. Araújo não quis acompanhá-los porque tinha um ferimento na perna. De acordo com Graciana, eles estavam em um lugar de pouca correnteza, quando Araújo submergiu. Ele ainda tentou emergir por duas vezes, mas não teve resistência física. A atriz não conseguiu ajudá-lo. O Corpo de Bombeiros iniciou as buscas no mesmo dia. No domingo e na manhã de segunda-feira, a procura continuou com o auxílio de barcos e mergulhadores. O corpo, foi encontrado por um agente funerário que auxiliava as buscas, enroscado num eucalipto que caíra no rio. Araújo estava havia dois meses na companhia Pessoal do Faroeste. Ele tinha substituído o ator Adão Filho, que fora trabalhar no interior da Bahia com o diretor de teatro José Celso Martinez Correa. Quando soube do ocorrido, Adão Filho voltou a se juntar ao grupo. O corpo de Araújo foi sepultado ontem na cidade de gaúcha de Cachoeira do Sul, onde mora sua família.

Tudo o que sabemos sobre:
AfogamentoSanta Cruz do Rio Pardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.