Coronel nega ter sido mandante do crime

O tenente-coronel Cláudio Luiz Silva de Oliveira, ex-comandante do 7.º Batalhão da Polícia Militar, preso sob a acusação de mandar matar a juíza Patrícia Acioli, em agosto, negou ontem o crime. Ele foi interrogado pelo juiz Peterson Simão, da 3.ª Vara Criminal de Niterói, durante julgamento dos 11 PMs acusados. Ele disse que não tinha problemas com a juíza, não sabe quem a matou e quer que o culpado seja responsabilizado. O juiz agora aguarda as alegações finais das partes para continuar o julgamento.

O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2011 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.