Coronel chefiou massacre

O coronel Ubiratan Guimarães chefiou a invasão ao Pavilhão 9 da então Casa de Detenção do Carandiru, na zona norte de São Paulo, em outubro de 1992, que resultou na morte de 111 detentos. Foi afastado e, após nove anos, condenado a 632 anos de prisão. Recorreu e acabou absolvido.

O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2012 | 02h09

Fora da polícia, onde havia entrado em 1964, recorreu à política. Foi deputado estadual suplente e, em 2002, foi eleito à Assembleia Legislativa pelo antigo Partido Progressista Brasileiro (PPB). Antes da morte, estava envolvido com a preparação de sua nova campanha, daquela vez pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Era visto como herói por alguns e como carrasco e assassino por outros. Viúvo e pai de três filhos, tinha 63 anos quando foi morto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.