Coronel acusado de matar cinco presos no Carandiru morre em SP

Em 1992, Luiz Nakaharada era o oficial mais graduado depois do Coronel Ubiratan Guimarães

15 Dezembro 2013 | 16h17

Morreu na noite de sábado, dia 14, o Coronel da Reserva da Polícia Militar Luiz Nakaharada, um dos oficiais envolvidos no Massacre do Carandiru. Segundo informações da PM, o coronel sofreu infarto na sua residência às 23h56. 

Ele sofria de problemas cardíacos e era aposentado desde 2009. O velório aconteceu no Cemitério Gethsêmani e o enterro estava marcado para às 16h. 

Em 1992, quando a polícia invadiu o presídio do Carandiru, Nakaharada era do 3.° Batalhão de Choque. Além disso, era o oficial mais graduado depois do Coronel Ubiratan Guimarães - comandante geral da operação, morto em 2006.  

Nakaharada aguardava julgamento. A ele são imputadas 5 das 78 mortes no segundo andar do Pavilhão 9. O coronel era o único acusado individualmente pelo Ministério Público Estadual no massacre. O julgamento dele era previsto para a quinta e última etapa do julgamento.

Oficialmente, 111 presos foram mortos no Carandiru. A antiga Casa de Detenção de São Paulo ficava na zona norte da capital paulista e foi demolida em 2002.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.