Copiloto havia trocado a folga com colega

RECIFE

Angela Lacerda, O Estado de S.Paulo

14 Julho 2011 | 00h00

No local do acidente, o empresário Jairo de Souza Gonçalves, de 51 anos, foi o primeiro familiar de vítima a acompanhar os trabalhos de resgate. Ele contou que o irmão, o copiloto Roberto de Souza Gonçalves, de 55 anos, estaria de folga, mas trocou o turno com um colega que precisava resolver pendências pessoais.

"Meu irmão era piloto havia cerca de 20 anos, tinha 2 mil horas de voo", ressaltou. Roberto deixa oito filhos, incluindo um piloto da TAM que mora em Paris. Na família Gonçalves, há ainda outro nove pilotos, segundo Jairo. "A prova da experiência dele é que salvou vidas escolhendo um local desabitado para cair."

Outra das pessoas que acompanharam o resgate foi o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSDB). Ele dava entrevista na Praia de Piedade - continuação da de Boa Viagem -, quando viu o avião em baixa altitude. "Olhei e vi a fumaceira."

A lista das vítimas só foi divulgada às 14 horas pela Noar Linhas Aéreas. Antes, a empresa avisou parentes, que foram levados a um hotel onde a empresa ofereceu assistência médica e psicológica. Muitos chegavam chorando. Nenhum quis falar com a imprensa.

Além do piloto Rivaldo Cardoso e do copiloto, dois executivos tiveram os nomes divulgados antes, em notas de pesar de empresas: Marcos Ely de Araújo Soares e Ivanildo dos Santos Filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.