Copacabana terá praia 'exclusiva' neste verão

Pagando até R$ 5 mil, grupo ganhará direito a alta gastronomia, heliponto e DJs

ANTONIO PITA / RIO, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2012 | 02h03

Cardápio feito pelos melhores chefs, trilha de DJs internacionais, hidromassagem, heliponto. Um cenário paradisíaco e exclusivo ao lado da praia mais movimentada do Rio. Com inauguração prevista para o dia 28, o primeiro clube privado nas areias de Copacabana é uma das novidades que cariocas e turistas vão encontrar neste verão.

Tanto conforto terá um preço. O acesso ao Clube Aqueloo, como o espaço já é chamado, deverá custar até R$ 5 mil - de consumação mínima - em um camarote para até 20 pessoas. O valor por pessoa na área comum ficará entre R$ 60, às quintas e sextas-feiras, e R$ 250, nos fins de semana. "São serviços que não existem no Rio hoje, algo realmente exclusivo, com muito conforto e segurança total em um lugar de beleza única", justifica o empresário Daniel Barcinski, um dos sócios do projeto.

Para animar os cerca de 500 privilegiados, o espaço oferecerá uma programação de música eletrônica, com DJs de clubes famosos em Londres, Alemanha e Portugal. A ideia é ter uma atração internacional de destaque toda semana. "Estamos acreditando que será o projeto mais comentado do verão. Em março, quando encerrarmos o clube, as pessoas vão se arrepender de não ter ido", diz Barcinski.

A inspiração para fazer "uma praia fechada" veio de clubes europeus e de algumas experiências que já existem nas faixas de areia de Jurerê, em Florianópolis, e Trancoso, na Bahia.

No Rio, o clube será instalado em uma praia exclusiva, entre as pedras do Forte de Copacabana. A faixa de areia nesse local só aparece no verão, quando a maré está baixa.

Atualmente, existem várias leis no País, federais e estaduais, que impedem o fechamento de praias, definidas como "bens públicos de uso comum do povo" (na definição da Lei 70.661/1988, por exemplo). No caso atual, porém, trata-se de uma área dentro de um forte, que pertence ao Exército.

O local só funcionará até março, quando a faixa de areia será novamente tomada pelo mar. A área foi alugada por R$ 300 mil das Forças Armadas. Chegou a existir uma polêmica com os moradores do bairro, contrários ao aluguel, mas a discussão não foi adiante.

Mudanças. Do lado de fora da atração, o público também vai encontrar novidades. Além dos novos guarda-sóis cariocas (veja acima), as praias também receberão novos chuveiros e acessos para pessoas com dificuldade de locomoção. As intervenções foram escolhidas pelos cariocas em uma votação na internet e serão financiadas também por uma cervejaria, em parceria com a ONG Rio Eu Amo Eu Cuido. As obras devem ser iniciadas em janeiro e a ação integra o projeto The Endless Summer - o Verão sem Fim - no Arpoador, em Ipanema, na Barra da Tijuca e em Niterói.

Entre as atividades promovidas estão shows e aulas gratuitas de surfe e stand up paddle até fevereiro. Toda a programação é aberta ao público. Para os palcos estão previstos shows de Rogê Brasil, Armandinho, Gabriel O Pensador, BNegão e Tom Curren. O público também já conferiu shows de Donavon Frankenreiter, que participa de um documentário filmado nas praias do Rio, durante o projeto (que teve início no sábado).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.