Copa fará 'garage sale' pré-reforma

Antes de fechar para obras de modernização no segundo semestre, ícone da hotelaria do País vai colocar à venda de mesinhas a camas

HELOISA ARUTH STURM / RIO, O Estado de S.Paulo

29 Março 2012 | 03h04

O Copacabana Palace vai fechar as portas no fim de junho. Mas só por alguns meses. É que o hotel mais famoso do Rio, localizado na zona sul da cidade, passará por uma grande reforma. Até o fim do ano, 90 banheiros e 60 quartos serão repaginados, além do lobby e da entrada do hotel. Já os restaurantes e os 96 apartamentos do prédio anexo continuarão funcionando normalmente durante o período de reforma.

"Nós vamos investir em materiais, até mais luxuosos do que os existentes hoje, e adaptar o que consideramos que pode ser adaptado para o mundo em que estamos vivendo", disse a gerente-geral do Copacabana Palace, Andrea Natal.

Os banheiros vão ter a metragem ampliada, o que vai possibilitar a instalação de banheiras esmaltadas, de origem alemã, e bancadas de mármore com pias duplas. Os quartos terão nova pintura, iluminação, tapetes, mobiliário e estofados.

Itens de luxo. Retomando experiência realizada em 2005, diversos móveis serão colocados à venda. Naquele ano, foi feito um leilão de peças de decoração do hotel, por ocasião da reforma do anexo (veja ao lado).

Mas os interessados poderão adquiri-los de uma forma diferente desta vez. "Não daria tempo de fazer um leilão, então resolvemos fazer uma espécie de 'venda de garagem', que é uma ideia mais simpática", contou Andrea.

Em junho, pouco antes de a reforma começar, camas, cabeceiras, mesinhas de café da manhã, sofás e poltronas dos quartos poderão ser adquiridos diretamente no hotel, por quem quiser.

"Vamos convidar as pessoas que tiverem interesse em comprar, e elas vão poder escolher, pagar e levar ali, na mesma hora", garantiu a gerente.

Uma empresa será escolhida pelo Copacabana Palace para catalogar todos os itens à venda. Embora os preços ainda não tenham sido definidos, é possível fazer uma previsão de quanto será preciso desembolsar para levar para casa alguns desses itens que integram a decoração do luxuoso hotel.

De acordo com a marchand Soraia Cals, ainda que se trate de móveis sem muito valor no mercado de antiguidades, alguns deles podem ser adquiridos por R$ 1,5 mil - caso das camas. Mesas de cabeceira estariam em torno de R$ 800, enquanto as poltronas estofadas estariam avaliadas em R$ 1,2 mil.

Depois da Rio+20. Previstas inicialmente para maio, as obras da reforma foram adiadas para o fim do mês seguinte para que o hotel possa funcionar durante a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que acontece entre 13 e 22 de junho na capital fluminense. Na ocasião, o hotel receberá dez grandes comitivas participantes do evento.

O projeto - orçado em R$ 30 milhões e realizado pelo arquiteto francês Michel Jouannet - prevê ainda o alargamento da pista de rolamento da entrada do hotel, a instalação de um toldo de vidro para os dias de chuva e a realização de obras de acessibilidade, hoje ausentes no espaço, para hóspedes com deficiência física. O pequeno lobby atual terá sua área aumentada em aproximadamente 60%.

Apesar das mudanças de layout e da instalação de equipamentos mais modernos, o ícone da rede hoteleira permanecerá com o seu estilo neoclássico, mantendo o imponente pé-direito alto nos quartos e grande parte dos móveis dos ambientes internos, que ajudam a preservar a história do local.

As obras no Copacabana Palace devem ser concluídas em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.