Contribuição à toa?

INSS - RECURSO EM JULGAMENTO

O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2013 | 02h01

Entrei com ação na Justiça contra o INSS em 24/1/2010, para reconhecimento de vínculo empregatício referente ao ano de 1972, em que trabalhei numa empresa por 3 anos e 6 meses. Quando entrei com o processo, faltavam 2 anos para completar 35 anos de contribuição e ter o direito à aposentadoria. Com esses 3 anos e 6 meses, seriam 36 anos e 6 meses. Juntei provas e a Justiça me deu ganho de causa em 14/10/2011. Determinou ainda que o INSS me concedesse o benefício e pagasse os atrasados. Mas o INSS entrou com recurso e 1 ano e 2 meses depois aguardo o julgamento. Enquanto isso, recebo do INSS uma tutela antecipada que foi determinada pela Justiça, que é uma espécie de aposentadoria provisória, que pode ser encerrada caso eu perca o recurso para o INSS. Também continuo contribuindo com o INSS, como facultativo, pois estou desempregado desde junho de 2011 e posso perder a causa. Mas, se eu ganhar, perco as contribuições feitas durante esse 1 ano e 2 meses. Acho injusto, pois não deveria ser punido pela demora da Justiça em julgar o recurso. Contribui com a Previdência a vida toda e agora passo por dificuldades, mesmo tendo direito à aposentadoria. Vergonhoso!

MARIO VASCONCELLOS / SÃO PAULO

O INSS-SP esclarece que o processo do segurado está tramitando no Juizado Especial Federal (JEF) da 3ª Região - São Paulo. Ao INSS caberá cumprir a sentença, após o trânsito em julgado da ação.

O leitor responde: Nada mudou. Já fui a diversos setores e a resposta é a mesma, que tenho de aguardar. Mas, pela minha idade avançada, é difícil arrumar um emprego. Gostaria de pelo menos obter uma data para o julgamento do processo.

SKY

Plano alterado sem aviso

Sou cliente SKY há mais de 10 anos e nunca tive motivo para reclamar. Acontece que alteraram meu pacote, que já não existe mais (na palavra deles) e o valor da minha fatura passou de R$ 204,90 para R$ 377,30 - incluindo a cobrança de um equipamento que já está comigo há vários meses. Tudo isso foi feito sem minha autorização. Fiz várias ligações para diversos setores e não obtive a sensibilidade de ninguém para apurar o caso e propor um acordo. Em 17/12 cancelei a assinatura contra a minha vontade, pois foi o caminho mais curto e sem motivos para desentendimentos.

BENEDITO PEREIRA / BAURU

A SKY informa que um funcionário entrou em contato com o leitor

no dia 21/12 e confirmou o cancelamento da assinatura.

O leitor reclama: A verdade é que tive de cancelar minha assinatura de mais de dez anos por incompetência dos funcionários da SKY. Se alguém com capacidade de resolver o assunto me ouvisse, tudo teria sido diferente. São pessoas mal treinadas que preferem cancelar a assinatura a sanar o problema.

NET NÃO RESOLVE

Cobranças indevidas

Fui assinante da NET durante três anos, mas, pelos serviços ruins oferecidos, decidi cancelar a assinatura em julho de 2012. Em agosto um técnico veio até a minha empresa, recolheu o aparelho e cortou a fiação. Mesmo após o cancelamento, a NET insiste em enviar cobrança de uma linha telefônica. Quando ligo para reclamar, perco horas tentando resolver o caso. Estou cansado, pois o problema já dura seis meses!

EDUARDO ASSIS / SANTO ANDRÉ

A NET informa que as questões relatadas foram solucionadas, porém não obteve êxito em contatar o leitor para sanar dúvidas.

O leitor contesta: Um técnico veio e confirmou que não há cabo nem aparelho, mas informou que a questão da cobrança não é tratada com ele. Disse que temos de continuar ligando para a empresa. Não vejo isso como solução.

TELEFÔNICA/VIVO

Linhas não funcionam

O que devo fazer para conseguir que meu telefone funcione em um sítio em Indaiatuba? Tenho duas linhas da Telefônica/Vivo, que pago absolutamente em dia, e já faz dois meses que nenhuma delas funciona corretamente. Já tenho mais de oito números de protocolos de reclamações e pedidos de conserto e até agora nada. Primeiro, a Telefônica/Vivo diz que não acha o endereço, depois, que o endereço está errado! O curioso é que uma das linhas está instalada no local há mais de 12 anos.

GILBERTO J. MEIRELLES

/ SÃO PAULO

A Telefônica/Vivo não respondeu.

O leitor informa: Eles entraram em contato, mas eu estava viajando. O problema continua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.