NILTON CARDIN
NILTON CARDIN

Contrato da Tamoios fica R$ 242 milhões mais caro

Dersa adiou para setembro de 2017 conclusão do primeiro lote da obra de extensão da SP-99, cujo custo subiu para R$ 1,6 bi, alta de 18%

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

31 de agosto de 2016 | 03h00

SÃO PAULO - A Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) aumentou em R$ 242 milhões os valores dos contratos de consultoria, gerenciamento e construção do novo trecho da Rodovia dos Tamoios (SP-99) no litoral norte de São Paulo e adiou para setembro de 2017 a conclusão do primeiro lote da obra, que estava previsto para junho deste ano. Com isso, o custo das obras sobe para R$ 1,6 bilhão, alta de 18%. 

Com 33,9 km, o trecho litorâneo da Tamoios, chamado de Contornos, ligará Caraguatatuba a São Sebastião e tem como objetivo reduzir o trânsito nas áreas urbanas das duas cidades. Elas estão divididas em quatro lotes e tiveram início em outubro de 2013, com conclusão total prevista para 2016.

Segundo o presidente da Dersa, Laurence Casagrande, os acréscimos de valores nos contratos devem-se a alterações no projeto básico feito em 2008 para atender a pedidos de prefeituras da região e reduzir os impactos socioambientais da obra, como a ampliação da extensão do trecho em pista dupla de 4 para 16 km e adoção de mais 3 km de terceiras faixas para uso de veículos comerciais pesados.

“Quanto ao prazo de entrega, a alteração aconteceu por dois motivos: nós ainda não assinamos o financiamento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), e nossa expectativa era receber o primeiro desembolso em abril deste ano, e o impacto das chuvas deste ano, que prejudicaram o andamento dos serviços de terraplenagem, especialmente nos lotes 1 e 2, em Caraguatatuba”, disse Casagrande.

Chamado de Contorno Norte, o lote 1 tem 6,2 km, entre Caraguatatuba e a Rodovia Manuel Hipólito Rego (SP-55), e deve ser entregue, agora, em setembro de 2017, três meses antes do lote 2, que tem 18,4 km de extensão entre Caraguatatuba e o limite com São Sebastião, compreendendo parte do Contorno Sul. Ambos estão sendo executados pela Serveng Civilsan. Já os outros dois lotes, que totalizam 9,3 km até o Porto de São Sebastião, devem ser entregues pela Queiroz Galvão em agosto de 2018.

Em junho de 2015, o Estado já havia mostrado que o custo total da Nova Tamoios Contornos, incluindo gastos com projetos e desapropriações, ficaria R$ 860 milhões mais cara e que as obras complementares da rodovia só deveriam ser concluídas em 2019, segundo justificativa do projeto de lei enviado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e aprovado pela Assembleia Legislativa, que autoriza o Estado a contrair empréstimo de mais R$ 750 milhões para a obra. 

Segundo o texto, o custo total do empreendimento será de R$ 3,2 bilhões, o que representa um acréscimo nominal de R$ 1,26 bilhão, ou 65% em relação ao custo da obra previsto em 2012 no projeto que Alckmin enviou ao Legislativo pedindo autorização para obter empréstimo de R$ 1 bilhão. À época, a obra estava orçada em R$ 1,94 bilhão. O trecho de Serra da Tamoios, com 21,5 km, está em obras desde 2015, com previsão de entrega para 2020.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.