Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Contra roubos, Zoológico terá base da PM

Direção pediu segurança após relatos de assaltos no entorno; instalação ocorrerá até o fim do ano

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2011 | 00h00

O Jardim Zoológico de São Paulo vai ganhar uma base fixa da Polícia Militar para coibir roubos e furtos a turistas no parque, visitado por até 25 mil pessoas aos domingos.

O pedido de mais segurança foi feito pela direção do zoo, parque vinculado ao governo estadual. Já foi destinado para a obra um terreno de 150 m² com frente para a Avenida Miguel Stéfano, na Água Funda, zona sul da capital. A licitação foi lançada no início do mês e o posto deve ser inaugurado até o fim do ano.

Os ladrões que atuam na área costumam atacar visitantes que deixam o zoológico. No primeiro trimestre de 2010, 29 pessoas foram roubadas nos arredores do parque, o número que se manteve estável nos primeiros três meses deste ano, com 28 ocorrências registradas pela PM.

Nas ruas do entorno do zoo, em local de pouco movimento e mal iluminado, os bandidos abordam os visitantes e levam celulares, câmeras fotográficas e carteiras. Paradas de ônibus da Miguel Stéfano também são alvos frequentes dos criminosos.

"Verificamos fatores como vítimas vulneráveis, infratores motivados e relativa ausência de vigilância na área. Isso levou à decisão de instalar a base no local, após a solicitação do zoo", disse o coronel da PM Marcelo Afonso Prado, chefe do 2.º Comando de Policiamento de Área Metropolitana. "O ponto de apoio mais próximo fica na Imigrantes (a 4,5 quilômetros dali). Como a área recebe milhares de visitantes, um reforço é necessário para aumentar a sensação de segurança."

Os policiais que atuarão no posto dentro do zoológico participarão de palestras com funcionários da instituição "para entender como atuar em local turístico". "Vamos escolher policiais com treinamento de polícia comunitária e, de preferência, que tenham noções de inglês e espanhol", disse o tenente-coronel Eduardo Agrella, comandante da PM responsável pela área. "A base ficará de frente para a via pública para atender à comunidade, não apenas ao zoo."

Um termo de compromisso foi assinado para manutenção da base: construção e custos básicos (água, luz, telefone etc) serão pagos pelo zoológico e a PM entra com equipamentos e efetivo. "O perfil do visitante, os objetos que traz, os dias de maior visitação, tudo é muito conhecido. Isso facilita para o ladrão", diz o diretor do zoo, Paulo Bressan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.