Contra o trânsito, 54% aprovam rodízio de dois dias em SP

Apesar de todos os aspectos negativos, 46% das pessoas apontam São Paulo como um lugar bom

da Redação,

22 de setembro de 2008 | 15h22

Mais da metade dos paulistanos aprova o rodízio de dois dias como uma medida contra o trânsito na cidade. O número foi divulgado pela pesquisa Ibope encomendada pelo Movimento Nossa São Paulo e divulgado nesta segunda-feira, 22, Dia Mundial Sem Carro. A pesquisa aponta que 54% dos paulistanos aprovam a medida, contra 41% da pesquisa realizada em 2007. O pedágio urbano, outra medida polêmica contra o trânsito na capital, tem aprovação de 21% da população - contra 13% do ano passado.  Veja também:Os resultados da pesquisa Ibope  Dossiê Estado: os números do trânsito na capital    Pesquisa mostra como os paulistanos se locomovem  Como alternativa, projetos incentivam a carona  Na opinião de 20% dos entrevistados, a construção de novas linhas de metrô deve ser prioridade para a próxima Prefeitura. Em segundo lugar aparece a construção de novos corredores de ônibus - para 18% dos entrevistados - e em terceiro lugar aparece o aumento da frota de ônibus, empatado com a construção de novas avenidas na cidade: ambos com 14%. Tempo no trânsito A pesquisa também aponta o tempo médio gasto pelo paulistano no trânsito. Metade dos entrevistados responderam que ficam no trânsito mais de uma hora e meia por dia. Em média, o paulistano gastou duas horas e meia no trânsito em setembro de 2008, segundo a pesquisa. Para 70% dos entrevistados, a situação do trânsito na capital é ruim (22%) ou péssima (48%). A nota para o trânsito também caiu em relação à pesquisa feita em 2007. No ano passado, o trânsito recebeu nota média 3. Este ano, os entrevistaram deram como média 2,8 para o trânsito na cidade. A nota dada ao transporte coletivo também teve queda considerável: recebeu nota 5,3 em 2007 contra 4,6 em 2008. Apesar de todos os aspectos negativos da pesquisa, 46% das pessoas entrevistadas apontam que a cidade de São Paulo é um bom lugar. No entanto, a pesquisa de 2007 apontava que 50% das pessoas diziam o mesmo. Para 9%, tanto em 2007 e 2008, a cidade é ruim ou péssima. Apenas para 18% dos entrevistados a cidade é um ótimo lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.