Contra frio, zoo dá cobertores a animais

Zoológico de São Paulo também pôs cobertura em gaiolas e aquecedor na piscina de répteis

Fabiano Nunes, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2011 | 00h00

 

A previsão é de temperatura mínima de 9°C hoje na capital. Se nas ruas será mais um dia de casacos pesados, no Zoológico de São Paulo veterinários buscam saídas para aquecer os animais.

A família de chimpanzés, formada por dez animais, ficou resfriada na semana passada."Damos cobertores, mas eles passam o dia inteiro na área aberta. E ainda molham o cobertor e o usam úmido", diz a veterinária Cláudia Rossi Ontivero.

Filhotes foram os que mais tossiram e espirraram. Para aplicar a medicação nos chimpanzés, veterinários usam uma receita de bolo de ração de primatas. "Misturamos remédios a mel, melaço, ração, frutinhas. E eles comem. Se for comprimido ou o xarope no copo, não vão tomar", diz Claudia. Ontem, o orangotango Sansão estava embrulhado no cobertor. Visitantes aproveitavam para fazer fotos.

Também muito sensíveis ao frio, aves ganham aquecimento com cobertura de plástico na gaiola e tocas de madeira. Já a casa dos tamanduás foi forrada com feno. Ali, passam boa parte do dia dormindo.

Ainda precisam de atenção répteis e anfíbios, que não produzem calor. Se a temperatura ambiente está a 10°C, a deles também estará porque o organismo da espécie funciona entre 25°C e 29°C. Em temperatura baixa, eles ficam parados e não conseguem se defender.

Na piscina das tartarugas, foi instalada resistência para que a água permaneça a 25°C. Para tigres e leões, não há aquecimento, mas alimentação reforçada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.