Contra buraco, população quer pagar IPTU em juízo

Depois de várias manifestações contra as crateras, moradores de Araçatuba, no interior, tentam dificultar arrecadação para pressionar a prefeitura

Chico Siqueira, O Estado de S.Paulo

21 Março 2011 | 00h00

Adesivos de protesto, manifestações públicas, reclamações na internet, roteiros de fuga e até briga na Justiça para depositar o valor do IPTU em juízo. Moradores de Araçatuba, no interior do Estado, estão usando todas as armas para conseguir que a prefeitura cumpra uma obrigação: tapar os buracos que tomam conta das ruas da cidade.

A reclamação contra os buracos tem ao menos cinco anos e foi tema principal das últimas eleições municipais. Em 2007, 150 moradores protocolaram abaixo-assinado na prefeitura e em 2008 um inquérito foi aberto no Ministério Público, mas como ambos foram arquivados, eles recorreram, em 2010, com ação judicial. Na última sexta-feira, a Vara da Fazenda Pública rejeitou a ação, que tentava obrigar a prefeitura a asfaltar as ruas. Os moradores queriam que a Justiça acatasse a ação para depositar o dinheiro do IPTU em juízo.

"Vamos esperar a publicação no Diário Oficial para decidir o que fazer", diz o aposentado Felipe Pipa, líder dos moradores. "O juiz alegou não poder interferir no Executivo. Só nos resta contar com a ajuda de Deus."

A frase "Visite Araçatuba antes que acabe" está em milhares de carros - foram distribuídos 2,5 mil adesivos. Os moradores também organizaram protestos, criaram comunidades na internet e montaram roteiros de fuga. Mas até agora só conseguiram ganhar ferimentos graves e deixar mais dinheiro nas mecânicas e borracharias da cidade.

A enfermeira Luana Guerzoni saiu de moto para trabalhar na noite de quarta e acabou com duas fraturas no fêmur e deslocamento na bacia. "Saí do meu caminho porque o asfalto estava todo esfarelado, só que na outra rua entrei num buraco e, para desviar, bati na traseira de um carro", conta. No mesmo dia, outros cinco acidentes causados pelos buracos foram registrados.

O pecuarista e ex-vereador Marcelo Andorfato resolveu usar suas páginas no Orkut e no Facebook para postar fotos dos buracos e frases contra o prefeito Cido Sério (PT).

O problema é tão grande que montar uma borracharia na cidade se tornou um bom negócio. "Meu movimento melhorou muito nos últimos anos, com o aumento dos buracos. Antes, atendia dez clientes por dia; hoje, chega até a 15 ou 20. Se estiver chovendo, atendo muito mais", conta o borracheiro Paulo Cesar Rodrigues.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.