MARIVALDO OLIVEIRA/FUTURA PRESS
MARIVALDO OLIVEIRA/FUTURA PRESS

Manifestação contra aumento da tarifa fecha Terminal Santo Amaro

Terminal de ônibus na zona sul foi bloqueado às 7h55 desta terça e liberado às 8h40; ato foi pacífico e acabou sem nenhuma ocorrência

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2016 | 09h18

SÃO PAULO - Manifestantes do Movimento Passe Livre (MPL) interditaram na manhã desta terça-feira, 12, o terminal de ônibus Santo Amaro, na zona sul da capital paulista, em protesto contra o aumento da tarifa do transporte público. Esta marcado para esta tarde o segundo grande ato do movimento, com concentração na Avenida Paulista, na região central.

Os ativistas bloquearam a entrada de ônibus no terminal, próximo à Avenida Padre José Maria, por volta das 7h55. De acordo com a São Paulo Transporte (SPTrans), os manifestantes decidiram liberar parcialmente a circulação de coletivos cerca de 15 minutos depois, após diálogo com inspetores das operadoras de transporte.

Acionada, a Polícia Militar chegou ao local por volta das 8h10. Meia hora depois, já não havia mais integrantes do MPL no terminal. Segundo a PM, o ato foi pacífico e nenhuma ocorrência foi registrada.

Depois de liberar o terminal, um grupo formado por cerca de 40 pessoas saiu em passeata pelo Largo Treze de Maio, segundo informações da Prefeitura de São Paulo. Às 9h15, os manifestantes ocupavam a calçada.

Estratégia. A exemplo do que aconteceu nos protestos de estudantes contra a reorganização da rede estadual de ensino, no final de 2015, o MPL tem apostado em interdições rápidas para se opor ao aumento da passagem de ônibus, trem e metrô, que subiram de R$ 3,50 para R$ 3,80.

A contar da sexta-feira, 8, outros três terminais já foram bloqueados pelos manifestantes: Lapa e Pinheiros, na zona oeste, e Bandeira, na região central. Além das interdições, o MPL também organiza grandes manifestações - a última, na sexta, foi marcada por confronto entre PMs e black blocs e terminou com 17 detidos por dano ao patrimônio, roubo e porte de explosivos.

O reajuste na tarifa foi anunciado pelo prefeito Fernando Haddad (PT) e pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e passou a valer no último sábado, 9. 

Tudo o que sabemos sobre:
MPLMovimento Passe LivreSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.