Contornos da Tamoios começam no mês que vem

Obra vai retirar o tráfego rodoviário das cidades de São Sebastião e Caraguatatuba

BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

01 Março 2013 | 02h04

As obras dos Contornos da Tamoios, estradas que deverão retirar o tráfego rodoviário das cidades de São Sebastião e Caraguatatuba, no litoral norte paulista, vão começar até o fim do mês que vem. A informação foi dada pela estatal Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa). Ontem, na última etapa do processo de licitação, foram abertos os envelopes com propostas para construção das vias.

Segundo o presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, a obra terá uma redução de custo de R$ 638 milhões em relação ao valor inicialmente orçado, que era de R$ 1,994 bilhão. "Vamos agora fazer a análise dessas propostas para confirmar a classificação das empresas."

A previsão do Estado é de que a ligação para Caraguatatuba, o chamado Contorno Norte, fique pronta até novembro do próximo ano. É uma obra mais "fácil", segundo avaliação da Dersa: é toda feita em trecho de planalto, o que exige equipamentos menos complexos e tem a velocidade da empreitada mais rápida.

O Contorno Sul, que liga a Rodovia Rio-Santos (SP-055) à Tamoios, tem previsão de túneis e pontes, por cortar o Parque Estadual da Serra do Mar. O trecho deverá ficar pronto até março de 2016.

Ligações. As duas novas rodovias são tidas como o "Rodoanel" do litoral norte. Elas vão servir para desviar o tráfego de caminhões das duas cidades. O movimento deve crescer quando a duplicação da Tamoios for concluída - o trecho de planalto já está em obras, com previsão de entrega para o ano que vem - e quando sair a ampliação do Porto de São Sebastião. O motorista que sair da Tamoios terá acesso à Rodovia Rio-Santos sem passar pelo centro das duas cidades.

A obra está sendo financiada com recursos do Banco do Brasil e do Tesouro do governo paulista. O Estado dividiu a rodovia em quatro lotes: um referente ao Contorno Norte e os outros três, com obras mais caras, para o Contorno Sul.

Na licitação promovida pela Dersa, as empresas puderam apresentar propostas com preços para até dois lotes separadamente. Além disso, as empresas puderam arrematar dois trechos conjuntamente desde que o oferta fosse inferior aos valores individuais. Sem revelar os vencedores, Lourenço disse que foi isso o que ocorreu neste projeto. Ao todo, 22 empresas (ou consórcios) estavam na disputa.

Licenças. Os Contornos da Tamoios já têm licença prévia de instalação emitida pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). Por causa dos impactos previstos no Contorno Sul, o órgão fez 59 recomendações para que o serviço não deteriore o delicado equilíbrio ecológico da região.

As licenças prévias, entretanto, não são garantias do início das obras. Para que as máquinas possam começar a trabalhar, ainda é preciso que a Dersa solicite à Cetesb as licenças de instalação - o que deve ocorrer até o fim deste mês.

O Estudo de Impacto Ambiental da obra estima que seja necessário desmatar 370 mil metros quadrados - área igual à soma do tamanho dos Parques do Ibirapuera e da Independência, na zona sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.