Conto erótico aparece em relatório de multas da BA

Procurador achou o texto, que fala de traição amorosa, no meio de documento emitido por órgão público de Salvador

Eliana Lima, O Estado de S.Paulo

30 de agosto de 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

SALVADOR

Ao contestar uma ação contra multas de trânsito enviadas pela Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador), o procurador baiano Luís Claudio Guimarães, de 50 anos, lotado na Procuradoria Fiscal do Estado, foi surpreendido com um texto de teor erótico no meio do relatório. O texto relata uma traição conjugal.

Os autos enviados pelo órgão municipal a Guimarães têm 300 páginas autenticadas em cartório e apresentam as justificativas para as supostas infrações de trânsito, que somariam R$ 1,5 mil. O conto inusitado ocupa duas páginas, as de número 255 e 256, e não tem nada a ver com o processo, diz o procurador.

Com o título Da Tal Espionagem Amorosa, o texto, que parece ter sido escrito por uma mulher, refere-se a uma "pulada de cerca" de um homem casado e de uma amiga, M., que teria descoberto a traição ao espionar o celular do marido. O homem é tratado pela escritora como "lazarento e cabra safado", entre outros adjetivos. Na narrativa ela usa também termos chulos, como vagabunda e canalha.

Para Cláudio Guimarães, o caso expõe a "falta de zelo do órgão público". O procurador afirma que o relatório, além do anexo inusitado, não contém prova das multas, que foram aplicadas entre 2007 e 2009. Por isso, ele reivindica seu cancelamento.

O documento enviado ao procurador foi assinado pelo superintendente da Transalvador, Alberto Gordillho, que não sabe explicar como o conto foi parar no meio do documento. Gordilho admite que pode ter assinado sem ler. "Costumo assinar tudo o que me é trazido pela assessoria, embora nem sempre consiga ler, pois temos uma relação de confiança", justifica. Ele garante que o caso será investigado e o responsável, punido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.