Contador reage a assalto e mata ladrão

Um assaltante morreu baleado e um adolescente de 17 anos foi apreendido depois que um contador de 48 anos reagiu a tentativa de assalto à sua casa, terça-feira à noite, no Planalto Paulista, zona sul da capital. Feito refém no interior da casa, o morador aproveitou distração dos bandidos para pegar uma pistola no quarto e disparar contra um deles, que morreu no Hospital São Paulo. Baleado no tórax, o contador foi levado ao mesmo hospital e até a noite de ontem continuava em estado grave.

FELIPE TAU, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2011 | 03h03

A tentativa de assalto aconteceu por volta das 22h50, quando dois homens aproveitaram uma entrega de pizza no endereço para dominar o contador e o motoboy e invadir a casa. No primeiro andar, renderam também o filho do proprietário, de 19 anos, e sua namorada, de 22. O jovem estava em seu quarto, com uma perna imobilizada por uma torção.

Ele disse que foi mantido refém com a namorada e o entregador no quarto, enquanto os bandidos foram para o quarto do pai. "Eram amadores e estavam bastante nervosos. Diziam que iam matar todo mundo."

Segundo o jovem, enquanto os homens faziam o contador refém e procuravam por pertences no quarto dele, o pai pegou uma pistola que guardava no criado-mudo e disparou contra o bandido armado. Depois do primeiro disparo, o pai também foi atingido. Um bandido correu para o quarto do rapaz.

O jovem pegou a pistola da mão do pai, que estava caído, e disparou novamente contra o assaltante. Ao ver que ele tinha sido atingido, correu para pedir socorro. Acionada por denúncia anônima, a polícia havia acabado de chegar. Segundo o capitão Sérgio Ferraz, foi possível ouvir os disparos da rua. Um adolescente de 17 anos foi apreendido ao lado de um Fox roubado quando tentava fugir. Ele foi encaminhado à Fundação Casa. Um terceiro assaltante conseguiu fugir.

Com Cleidson Oliveira, de 23 anos, o ladrão que morreu, a polícia encontrou um revólver calibre 38 com numeração raspada, do qual foram disparados ao menos cinco tiros. Oliveira havia sido preso em 2008 por receptação e porte de droga. A polícia não soube dizer quantos tiros foram disparados pelas vítimas, que usaram pistola semiautomática Taurus calibre 32, registrada em nome do contador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.