Construtora deve bancar estação da CPTM na zona sul

O sistema ferroviário de São Paulo deve ganhar em até três anos sua primeira estação construída com recursos da iniciativa privada. A Estação João Dias da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) atenderá cerca de 15 mil pessoas por dia e ficará entre as paradas Granja Julieta e Santo Amaro, na zona sul.

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2011 | 00h00

A entrada da estação ficará no terreno cedido pela incorporadora Brookfield, responsável por um empreendimento comercial na área. A empresa quer erguer ali duas torres de 130m e um pequeno shopping. O complexo deve atrair 10 mil pessoas por dia.

Segundo Silvestre Rocha Ribeiro, diretor de Planejamento da CPTM, a construtora procurou a estatal para fazer a estação sair do papel. A obra deve custar R$ 40 milhões. José de Albuquerque, um dos diretores da Brookfield, afirma que a parada agrega valor à construção. Ele diz que as discussões ainda não foram concluídas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.