Construtora alega fatalidade na morte de operário no Metrô

Funcionário morreu após trilho de aço de 700 quilos se desprender de guindaste e atingí-lo

Maíra Teixeira, da Central de Notícias,

14 de dezembro de 2009 | 20h00

O Metrô de São Paulo divulgou comunicado no início da noite desta segunda-feira, 14, informando o acidente de trabalho que matou um funcionário Raimundo Maria de Almeida, de 49 anos, na obra de ampliação da Linha 2 - Verde no trecho entre as futuras estações Tamanduateí e Vila Prudente, e envolveu um empregado da Galvão Engenharia.

 

Veja também:

link Acidente nas obras Metrô provoca a morte de um operário

 

O acidente ocorreu quando um trilho de aço, de 700 quilos, se desprendeu do guindaste que o içava na obra, caindo na vertical e tombando sobre o funcionário da construtora, que faleceu instantaneamente. Segundo nota da Galvão Engenharia, a empresa lamenta a fatalidade da morte de seu funcionário e destaca ainda que o içamento de materiais e equipamentos faz parte da rotina diária dos serviços na obra, na qual são seguidos rígidos cuidados de segurança no trabalho.

 

A Galvão Engenharia explica que as atividades no canteiro começam cotidianamente com uma preleção (DDS - Diálogos Diários de Segurança) da qual participam todos os operários das frentes de serviços, o engenheiro de segurança e respectivos supervisores de segurança. É nesse momento que todos funcionários tomam conhecimento dos serviços a serem realizados no dia e os cuidados necessários.

 

A empresa informa que está apurando as causas do acidente e que a família de Almeida está recebendo toda assistência e apoio devido da Galvão Engenharia

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
MetrôVila Prudente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.