DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Conselho de patrimônio tomba prédios históricos de Mogi

Edificação principal, construída em taipa, no final do século 19, é representativa da tradição portuguesa para imóveis de segurança

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2016 | 17h34

SOROCABA - O conjunto que abrigou a antiga Casa de Câmara e Cadeia e, mais tarde, funcionou como Fórum em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). A resolução foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta quinta-feira, 28. 

A edificação principal foi construída em taipa, no final do século 19, e é representativa da tradição portuguesa para imóveis de segurança pública, que destinavam o pavimento inferior para as celas do cárcere e a parte superior para a administração.

No século passado, a Casa de Câmara foi usada como escola e abrigou espaços culturais. Atualmente, é utilizada como sede do Comando de Policiamento de Área Metropolitana de São Paulo, da Polícia Militar. O prédio tem estilo eclético, seguindo as posturas do Brasil República, com amplas janelas, molduras, frontão e muros que lembram um pequeno castelo. O conjunto de edifícios já é tombado pelo órgão municipal de preservação do patrimônio histórico. O uso ininterrupto garantiu a conservação do imóvel.

De acordo com a arquiteta Silvia Wolff, técnico do Grupo de Estudos e Inventários da Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico, o tombamento tem o objetivo de chamar a atenção dos municípios para o valor de prédios semelhantes, também originados da ação pública do governo. O objetivo é também orientar as futuras intervenções no conjunto arquitetônico de modo a assegurar sua preservação para as futuras gerações.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.