Ernesto Rodrigues / Estadão
Ernesto Rodrigues / Estadão

Conpresp manda tirar bandeiras da Avenida Brasil, em SP

Bandeiras foram instaladas por meio de uma parceria entre a Prefeitura e a Associação Eu Amo o Brasil; novo projeto poderá ser submetido para análise de conselho municipal

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2018 | 21h31

Foi determinada a remoção das 28 bandeiras do Brasil hasteadas desde agosto no canteiro central da Avenida Brasil, nos Jardins, na cidade de São Paulo. A decisão foi emitida na segunda-feira, 25, em reunião do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). A instalação ocorreu por meio de uma parceria entre a Prefeitura e a iniciativa privada. O parecer do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) era favorável à manutenção das bandeiras.

Como estão inseridas dentro do perímetro do "Bairros dos Jardins", que é tombado nos âmbitos estadual e municipal, as bandeiras somente poderiam ter sido instaladas após aprovação do Conpresp e do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat).

+ Doria autoriza instalação de bandeiras do Brasil em pontes sem consultar Conpresp

"Será feita uma comunicação formal à Prefeitura Regional de Pinheiros sobre a decisão e o Conselho poderá analisar uma proposta alternativa de instalação das bandeiras", informou a Secretaria Municipal de Cultura, responsável pelo Conpresp, por meio de nota.

Na primeira reunião em que o tema foi discutido no Conselho, em 18 de junho, a relatora do processo, a diretora do DPH, Mariana Rolim, afirmou que a instalão das bandeiras  "não afetou a vegetação arbórea" e que não houve "prejuízo à ambiência do local". "Entendemos ainda que, de acordo com as fotos apresentadas, não há prejuízo à ambiência do local", disse, de acordo com informação publicada na ata da reunião. 

Histórico. As bandeiras foram instaladas por meio de uma parceria entre a Prefeitura de São Paulo e a Associação Eu Amo o Brasil (EAB), que doou o material necessário. A inauguração ocorreu no dia 6 de agosto com a presença do então prefeito João Doria (PSDB). 

"Eu estou muito feliz nesta data de 6 de agosto de entregar à cidade de São Paulo 28 bandeiras brasileiras fincadas  na avenida que leva o nome do nosso País", disse Doria em vídeo gravado na inauguração, realizada no entorno do Parque do Ibirapuera. 

Na mesma data, a Prefeitura também entregou a revitalização do canteiro central da Avenida. Pouco mais de uma semana depois, contudo, as 12 placas colocadas no local pelas empresas patrocinadoras precisaram ser retiradas por violar a Lei Cidade Limpa.

Coordenador da Associação Eu Amo o Brasil, Carlos Abner, disse que a instituição ainda não tomou conhecimento oficial da decisão. Segundo ele, as bandeiras foram doadas para a Prefeitura, o que, portanto, sinalizaria a regularização da ação. 

A ação faz parte da campanha "Embandeirando São Paulo", que também instalou bandeiras em outros espaços da cidade. Dentre eles, estava a Ponte das Bandeiras (tombada em nível municipal), que teve os itens retirados antes da apreciação do Conpresp sobre a regularidade da ação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.