Conpresp libera obra de linha do aeroporto

O Conselho do Patrimônio Histórico de São Paulo (Conpresp) aprovou ontem os projetos do Metrô para a construção do trecho Congonhas-Estação Morumbi da Linha 17-Ouro e para o trecho Vila Prudente-Oratório, na Linha 2-Verde. A autorização era imprescindível para a realização das obras, uma vez que as linhas vão passar por locais e imóveis tombados pelo órgão de preservação.

Rodrigo Brancatelli, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2011 | 00h00

O trecho Vila Prudente-Oratório vai passar próximo da área envoltória do Casarão da Rua do Oratório, tombado pela Resolução 8/2004 do Conpresp. A obra está prevista para ser entregue em setembro de 2014. Já a construção que vai passar por Congonhas, aeroporto em processo de tombamento, é mais complicada - a Justiça suspendeu no fim do ano passado a assinatura do contrato e a homologação da licitação que escolheria a empresa responsável por construir um monotrilho entre Jabaquara, Congonhas e Morumbi.

A suspensão foi motivada por pedido da Associação Sociedade Amigos da Vila Inah, que alega que a obra vai descaracterizar os bairros. A previsão é que a obra dure três anos e meio e custe cerca de R$ 3,1 bilhões. Em nota, o Metrô disse que "a aprovação feita pelo Conpresp facilita a obtenção das licenças ambientais para as citadas linhas".

Linha Lilás. Na próxima semana, o governo do Estado deve anunciar decisão sobre os contratos da Linha 5-Lilás, cujo processo foi parado por suspeita de irregularidade. O Metrô concluiu seu processo interno e aguarda manifestação dos consórcios que participaram da licitação. A Justiça também deve decidir nesta semana se concede liminar barrando o processo.

Tudo o que sabemos sobre:
ConprespMetrópole

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.