Congestionamento começa a diminuir, após pico de 130 km

Acúmulo de água complica o tráfego pela Avenida Presidente Wilson, no Ipiranga, e pela Marginal do Tietê

Fabiana Marchezi, estadao.com.br

08 de agosto de 2008 | 11h15

Depois de ter enfrentado pico de 130 km de congestionamento, às 9 horas desta sexta-feira, 8, o motorista que trafegava pelas principais vias da capital paulista às 11 horas enfrentava 114 quilômetros de lentidão, por conta do excesso de veículos e da chuva que atinge a cidade, provocando pelo menos dois pontos de alagamento transitáveis. O índice representa 13,6% dos 835 quilômetros monitorados.   Veja também:   Prefeitura lança pacote de obras para o trânsito em SP Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua Entenda as novas medidas contra o trânsito  Conheça o histórico do trânsito na cidade    De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências da prefeitura, o acúmulo de água complicava o tráfego pela Avenida Presidente Wilson, no Ipiranga, e pela Marginal do Tietê, próximo à Ponte da Freguesia do Ó. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 11 horas, o pior trecho para o motorista estava na pista expressa da Marginal do Tietê, sentido Penha-Lapa, onde o engarrafamento era de 15,4 quilômetros, desde a Ponte da Vila Guilherme até a Rodovia Castelo Branco.   Na via expressa da Marginal do Pinheiros, sentido Interlagos, havia retenção em 9,3 quilômetros, desde a Rodovia Castelo Branco até a Ponte Cidade Jardim. Já na pista local da Marginal do Tietê, sentido Penha-Lapa, a morosidade era de 7,3 quilômetros, entre as pontes Limão e Nova Fepasa.   Desde o início do dia, a média de congestionamento registrada pela CET nesta sexta-feira está muito acima do que tem sido verificado nos dias anteriores. Para se ter uma idéia, às 9 horas, a cidade registrava 130 km de congestionamento. Na segunda-feira, no mesmo horário, a lentidão batia o índice de 91 km, na terça, eram 78 km, na quarta, 85 e, na quinta-feira, 80 km.

Tudo o que sabemos sobre:
trânsitocongestionamentoSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.