Gilberto Amendola/Estadão
Gilberto Amendola/Estadão

Foliões encontram Metrô lotado após primeiro dia de carnaval em SP

Passageiros encontraram longas filas para comprar bilhetes e reclamaram de falta de organização da companhia

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2018 | 19h56

A estação Faria Lima do Metrô, linha 4, teve um princípio de confusão no início da noite deste sábado com a dispersão dos blocos de carnaval que desfilaram por Vila Madalena e Pinheiros, na zona oeste da capital.  O Largo da Batata, próximo dali, virou ponto de confluência de quem sai dos blocos e, na dispersão, muitas pessoas já estão lotando a estação.

O estudante Jackson Ramos, de 25 anos, reclamava da demora na fila: "Qualquer evento é essa zona. Fica difícil pegar o metrô porque as pessoas são mal educadas e falta organização da companhia".

Já a analista financeira Lucimeire Colodro, de 48 anos, estava mais conformada enquanto aguardava para comprar bilhetes. "Que tem problema de organização, isso tem. Mas olha, acho que seria impossível fazer melhor. É muita, muita gente mesmo."

No final de semana passado, durante o pré-carnaval, a dispersão dos foliões foi marcada por vários problemas na estação. Os foliões tiveram dificuldade para sair da região após a concessionária ViaQuatro, que opera a Linha 4-Amarela do Metrô, fechou um dos acessos às plataformas da estação Fradique Coutinho e controlou a entrada no outro, criando confusão do lado de fora. O controle foi feito com grades e com seguranças paramentados com uniformes iguais às que a Polícia Militar usa em ocasiões de distúrbios civis, como confrontos contra black blocs. Os foliões brigavam entre si, entre acusações de furadas de fila e empurrões. Mas não houve troca de agressões.

Depois dos problemas, o metrô anunciou que haveria um esquema especial de funcionamento para desafogar as linhas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.