Grupo protesta em inauguração da estação de metrô Higienópolis-Mackenzie

Quinze integrantes do MPL abriram uma faixa com os dizeres '4 reais nunca', em protesto contra o aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem em São Paulo

Juliana Diogenes, O Estado de S.Paulo

23 Janeiro 2018 | 11h26

SÃO PAULO - Uma confusão marcou a inauguração da estação Higienópolis-Mackenzie, da Linha 4-Amarela do Metrô, na manhã desta terça-feira, 23. Quando o governador Geraldo Alckmin (PSDB) chegou, quinze integrantes do MPL abriram uma faixa com os dizeres "4 reais nunca" e protestaram contra o aumento das tarifas de ônibus, metrô e trem na capital.

Seguranças da ViaQuatro e dois homens que aguardavam Alckmin tentaram impedir a entrada dos manifestantes e puxaram a faixa do grupo. Os membros do protesto foram expulsos.

Houve empurra-empurra e a integrante do MPL, Anna Silva, estudante de 20 anos, afirma ter sido machucada. Apoiadores do tucano gritaram "Alckmin! Alckmin! Alckmin!". Um ato do MPL está marcado para as 17 horas desta terça no cruzamento das Avenidas São João com Ipiranga.

Em nota, a ViaQuatro, concessionária responsável pela operação e manutenção da Linha 4-Amarela de metrô de São Paulo, informa que os Agentes de Atendimento e Segurança da Linha 4-Amarela, em serviço durante a inauguração da Estação Higienópolis-Mackenzie, estavam presentes para garantir a segurança dos presentes e a proteção ao patrimônio físico da estação.

"Os Agentes de Atendimento e Segurança recebem treinamento em que são instruídos sobre como atuar em situações de risco aos usuários ou à sinalização, mobiliário ou máquinas da estação", destacou a nota.

Mais conteúdo sobre:
Geraldo AlckminMplprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.