Confusão entre Beto Barbosa e 2 mulheres acaba na delegacia

Cantor acusa as duas de tentar furtar seu carro e invadir sua casa; elas dizem que ele queria levá-las a casa de swing

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

09 Março 2012 | 03h03

O cantor Beto Barbosa, conhecido como o "rei da lambada", se envolveu em uma confusão, na madrugada de ontem, e foi parar no 27.º Distrito Policial (Campo Belo). O artista de 57 anos acusa duas mulheres de terem tentado furtar seu carro e invadir o apartamento onde mora, na Rua Canário, em Moema, na zona sul. Ninguém foi preso. As moças dizem que se irritaram com o cantor, depois que ele as levou até uma casa de swing. Beto prestou depoimento e deixou a delegacia por volta das 8h de ontem.

O desentendimento entre o cantor e as duas mulheres começou na noite de quarta-feira. Na primeira versão apresentada no 27.º DP, ele diz que a amiga, uma advogada de 32 anos, estava hospedada em sua casa após ter chegado de Joinville (SC). Os dois teriam saído à tarde para visitar outro cantor em São Bernardo do Campo, no ABC, e depois, às 21h, decidiram sair para jantar em um hotel de luxo, na Avenida Macuco.

No local, Beto teria dito que queria ir até uma casa noturna e a advogada insistiu para ir junto. Já a Assessoria de Imprensa do cantor, em nota, explicou ontem à tarde que Beto foi "convidado" a ir até a boate pela amiga e, mesmo cansado, cedeu ao pedido. Chegando lá, sua amiga encontrou outra mulher. Já o cantor encontrou uma amiga.

Após algumas horas, as duas mulheres não foram mais vistas pelo artista. Ao notar que estava sozinho, ele diz ter ido embora da casa noturna. Foi até o restaurante, onde havia deixado seu carro, e o manobrista disse que uma mulher - a mesma que estava com ele antes - havia levado o veículo. Segundo testemunhas, o artista ficou furioso com a informação e acabou encontrando as duas mulheres carregando uma mala.

Beto tentou tirar satisfações para saber o que havia dentro da mala que, anteriormente, estava em seu apartamento. Sem explicações, impediu que as duas fossem embora e ligou para a Polícia Militar. Os três foram levados para a delegacia, onde o caso foi registrado como violação de domicílio e vias de fato - agressão sem lesão corporal. A advogada que estava hospedada no imóvel do artista diz ter sido segurada pelo braço.

Outra versão. Ainda na delegacia, a advogada de Joinville alegou que estava na casa de Beto para passar o fim de semana e, ao sair para jantar, eles conheceram uma estudante. De lá, foram para a boate, mas, ao chegar, ela viu que se tratava de "um ambiente promíscuo" e, por isso, não queria ficar lá. A ida ao apartamento, segundo ela, foi para retirar seus pertencentes.

Na versão da advogada, Beto a encontrou no apartamento e puxou seu braço com força até a PM chegar. O cantor exigiu que os policiais fizessem uma perícia no local, o que não foi feito. "Não estou acusando ninguém, mas elas entraram sem a minha autorização e meu carro não estava no local em que deixei."

O porteiro disse que viu o carro na entrada do prédio e achou que era o cantor quem dirigia. Por isso, abriu o portão. As mulheres não foram localizadas pela reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.