Confronto entre camelôs e GCM fere 2 no Brás

Cerca de 500 vendedores ambulantes entraram em confronto com a Guarda Civil Metropolitana (GCM) ontem de manhã ao invadir o local onde funciona a feirinha da madrugada, no Brás, região central. Eles arremessaram pedras contra os guardas, que revidaram com spray de pimenta. Dois GCMs se feriram.

, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2011 | 00h00

Uma operação de combate à pirataria da Prefeitura interditou a área anteontem, impedindo a realização da feira durante a madrugada. Antes do confronto, os camelôs haviam fechado por duas vezes a Avenida do Estado.

Segundo o secretário de Segurança Urbana, Edsom Ortega, a feira deve ficar fechada ao menos até a próxima quinta-feira. As 2.897 lojas do local serão vistoriadas. "Quem estiver com produtos lícitos poderá voltar a trabalhar. Quem estiver com produtos piratas terá sua autorização de funcionamento suspensa", disse. O Sindicato dos Camelôs do Brás prevê novos protestos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.