Condomínio de luxo no interior é alvo de ladrões

Três casas vazias da Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz, foram invadidas e furtadas; segundo a polícia, foi o segundo ataque ao local em três semanas

JOSÉ MARIA TOMAZELA , SOROCABA, O Estado de S.Paulo

19 de dezembro de 2012 | 02h02

Três residências da Fazenda Boa Vista, condomínio de luxo em Porto Feliz, a 110 quilômetros de São Paulo, foram invadidas e furtadas por bandidos entre a noite de domingo e a madrugada de segunda-feira.

O condomínio, que tem 200 residências espalhadas por uma área de 12 milhões de metros quadrados, campo de golfe, centro hípico e abriga o Hotel Fasano, é considerado um dos mais seguros do interior.

As três mansões invadidas são vizinhas e estavam vazias - os donos moram em São Paulo e já tinham retornado à capital, após passarem o fim de semana no local. Bandidos levaram televisores de LCD, eletrodomésticos e até um carrinho de golfe.

Foi o segundo ataque em menos de um mês: há três semanas, cinco casas tinham sido alvo de ladrões. A Polícia Civil identificou um suspeito e recuperou um dos televisores furtados.

O jornalista Cesar Giobbi, uma das vítimas, contou que havia saído de sua casa no fim da noite de domingo e na manhã seguinte foi acordado pela caseira. "No fim de semana, o zelador havia passado uma tarde colocando mais trancas na porta. Os ladrões entraram quebrando um vidro quase impossível de se quebrar." Ele acredita que eram pelo menos quatro, pois dois ficaram vigiando do terraço, conforme as marcas encontradas no local. Dentro, papéis que estavam guardados foram espalhados pelo chão.

Além do carrinho de golfe, os ladrões levaram de sua casa uma torradeira e um liquidificador. Os peritos que estiveram no local disseram que algum barulho nas imediações deve ter assustado os bandidos e eles resolveram fugir. Por isso, não houve tempo para completar o furto. "Não sei como fizeram para sair do condomínio com o carrinho de golfe, que é grande e barulhento."

Giobbi, que tem casa há dois anos e meio no condomínio, disse que a onda de roubos é recente. "Até então, ali era realmente um paraíso." Há três semanas, a administração trocou a empresa de segurança, por causa dos outros assaltos. "Contrataram até uma empresa de inteligência em segurança. Mesmo assim, temos de fazer a nossa parte, colocando sensores, câmeras, alarmes."

Ao comentar o caso na rede social Facebook, ele desabafou. "Eu achava que o Boa Vista não ficava no Brasil. Agora me dou conta de que fica sim e não escapa dos percalços por que passam todos os demais condomínios."

Polícia. O delegado de Porto Feliz, André Bolan, disse que os condomínios são visados porque se acredita que os moradores são ricos, mas as ocorrências não são comuns. "Aquele condomínio (Boa Vista) tem uma segurança muito forte, até a polícia tem dificuldade para entrar lá."

Ele disse que funcionários podem estar envolvidos, uma vez que o suspeito já trabalhou no local. O site do Boa Vista informa que o empreendimento, no km 102 da Rodovia Castelo Branco, é destinado "à alta renda".

A administração do condomínio e a empresa JHSF, dona do empreendimento, comprometeram-se a reparar os estragos e repor as perdas dos moradores. A administração informou que a segurança no condomínio é uma prioridade e destacou que já tomou providências para reforçá-la. Ressaltou ainda que, em nenhum momento, houve invasão ou acesso de pessoas não autorizadas no interior da Fazenda Boa Vista e os casos de furto se restringem a aparelhos domésticos de uso diário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.