JB Neto/AE
JB Neto/AE

Condephaat autoriza início de processo de tombamento do Cine Belas Artes

Dono do imóvel não poderá dar nenhum outro fim ao edifício enquanto processo não terminar

Luísa Alcalde, Jornal da Tarde

03 Outubro 2011 | 13h49

SÃO PAULO - Após quatro horas de discussão na manhã desta segunda-feira, 3, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), órgão do governo estadual, acaba de autorizar a abertura do processo de tombamento do Cine Belas Artes, na região da Consolação, centro da capital.

Enquanto o processo não chegar ao final o proprietário do imóvel não poderá dar nenhum outro fim ao edifício.

Conselheiros do órgão consideraram no parecer que não só o imóvel do cine Belas Artes como também o do antigo restaurante Riviera e a passagem subterrânea da Rua da Consolação, que faz a ligação entre essas duas edificações, marcaram época na capital e podem ser tombados como bem cultural de artes.

A presidente do Condephaat, Fernanda Bandeira de Melo, negou que o Bar Riviera e a passagem subterrânea da Rua da Consolação, que faz a ligação entre os dois imóveis, não foram incluídos no estudo inicial do processo de tombamento do Cine Belas Artes. "Apenas alguns conselheiros comentaram na reunião a importância histórica desses locais e a ligação que tinham com o Belas Artes", explicou.

O advogado do proprietário do Cine Belas Artes, Fábio Luchesi Filho, disse que ainda desconhece o teor do processo de tombamento. "Ainda não tomei conhecimento do teor desse processo de inicio de tombamento. Devo ter acesso até, no máximo, nesta quarta-feira. Se há um processo, vamos recorrer", afirmou.

Texto atualizado às 15h48 para acréscimo de informações

Mais conteúdo sobre:
belas artes tombamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.