Condepe pede fim das 'resistências seguidas de morte'

Em todos os homicídios cuja autoria envolve policiais, princípios básicos de investigação devem ser garantidos, como preservação da cena da ocorrência, perícia técnica em armas e veículos envolvidos, oitiva de testemunha.

O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2012 | 23h50

É o que recomenda resolução aprovada anteontem pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, que também prevê abolição de termos como "autos de resistência" e "resistência seguida de morte" em boletins.

Segundo o documento, no registro deverá constar "lesão corporal decorrente de intervenção policial" ou "morte decorrente de intervenção policial". "São passos importantes para ajudar no trabalho e investigação policial", afirma Stephanie Morin, da Human Rights Watch.

O governador Geraldo Alckmin disse que a crítica é bem-vinda. "Não tenho nenhum problema com crítica. Gosto de Santo Agostinho, que disse: 'Prefiro os que me criticam porque me corrigem aos que me adulam porque me corrompem'."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.