Condenados, Nardonis vão ficar pelo menos mais 9 anos em regime fechado

Condenados, Nardonis vão ficar pelo menos mais 9 anos em regime fechado

Alexandre foi sentenciado a 31 anos e Anna Carolina, a 26. Após 2/5 da pena, casal pode pedir direito ao semiaberto; defesa já recorreu

Bruno Tavares e Marcelo Godoy, O Estadao de S.Paulo

27 Março 2010 | 00h00

O 2.º Tribunal do Júri de São Paulo condenou, no final da noite de ontem, o casal Alexandre Nardoni, de 31 anos, e Anna Carolina Jatobá, de 26, pela morte de Isabella Nardoni, de 5, em março de 2008. Diante da decisão dos jurados, o juiz Maurício Fossen definiu as penas dos réus: 31 anos, 1 mês e 10 dias para o pai da menina e 26 anos e 8 meses para a madrasta. A defesa já recorreu, mas o casal continuará preso.

O casal Nardoni foi condenado por homicídio triplamente qualificado (meio cruel, sem defesa para a vítima e para assegurar impunidade em outro crime), além de fraude processual. Por esse crime, Nardoni e Anna Jatobá pegaram, cada um, mais 8 meses de prisão em regime semiaberto. Na sentença, Fossen afirmou que as penas ficariam acima da base definida no Código Penal em razão da "culpabilidade" do casal e das circunstâncias, em que os réus, disse, demonstraram "frieza emocional e insensibilidade acentuada".

Os dois choraram no anúncio da sentença, principalmente Anna Jatobá, que limpava as lágrimas com as algemas. Ela ficará detida em regime fechado pelos próximos 9 anos, quando terá cumprido dois quintos da pena e poderá pedir o semiaberto. Nardoni terá de cumprir 11 anos de prisão antes de poder requerer o mesmo benefício.

Júri. A reunião dos sete jurados para decidir o veredicto começou por volta das 22h20, em uma sala do Fórum de Santana, na zona norte, onde desde segunda-feira acontecia o julgamento. Eles tiveram de responder a 30 perguntas feitas pelo juiz, 15 sobre a participação de Nardoni no crime e outras 15 sobre a madrasta de Isabella. Duas horas depois, o juiz leu a sentença. Em frente ao Fórum, cerca de 250 pessoas acompanhavam o fim do julgamento e comemoraram.

Houve confusão na saída do casal do Fórum. Algumas pessoas avançaram sobre os carros que levavam os Nardonis. A polícia teve de usar spray de pimenta para dispersar a multidão. O casal passaria a noite de ontem em São Paulo, Nardoni no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, e Anna Jatobá na Penitenciária Feminina do Carandiru. Hoje pela manhã, deveriam seguir para as penitenciárias em Tremembé, no interior paulista, onde já estavam presos.

Pela manhã, o confronto entre a defesa e a acusação revelou cartas guardadas. Cembranelli chamou os réus de mentirosos e o advogado Podval comparou o caso ao da menina Madeleine.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.