Polícia Civil/Mato Grosso do Sul
Polícia Civil/Mato Grosso do Sul

Condenado a 50 anos por assassinato de promotor é preso em Corumbá

José Maria Pedro Rosendo Barbosa se tornou um dos criminosos mais procurados do País após ter sido resgatado de penitenciária de Pernambuco

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2019 | 21h32

SOROCABA - Uma operação da Polícia Civil prendeu, nesta segunda-feira, 29, em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, um homem condenado a 50 anos pelo assassinato do promotor de Justiça Thiago Farias Soares, em outubro de 2013, em Pernambuco. José Maria Pedro Rosendo Barbosa tornou-se um dos criminosos mais procurados do País, após ter sido resgatado de uma penitenciária de Pernambuco, em fevereiro deste ano. Na fuga, um policial foi assassinado. Ele se preparava para entrar em território boliviano quando foi cercado pela polícia.

De acordo com a Secretaria de Justiça e Segurança Pública do MS, uma força-tarefa formada pela Polícia Civil local e de Pernambuco, com apoio do Ministério Público dos dois Estados, conseguiu rastrear o fugitivo. Ele estava na companhia de uma mulher de 54 anos que forneceu esconderijos para o criminoso e cuidava de sua fuga para a Bolívia. Ela foi ouvida e liberada. O condenado foi levado de helicóptero para Campo Grande e deve ser transferido para uma prisão de Pernambuco.

Crime

O assassinato do promotor teria sido motivado por uma disputa de terras. Ele atuou em ação na qual a fazenda em que José Maria morava foi desapropriada e arrematada em leilão por Mysheva Martins. Farias foi emboscado e morto em uma rodovia de Itaíba, no agreste pernambucano. Os autores do crime, José Domingos Cavalcante, Adeildo dos Santos e José Marisvaldo da Silva, apontaram Barbosa como mandante.

Ele foi condenado também pelas tentativas de homicídio da noiva do promotor e do tio dela, Adautivo Martins. Em fevereiro, Barbosa e outros seis presos fugiram da penitenciária de Itamaracá, na Grande Recife, com a ajuda de outros 20 criminosos. Na ação, houve troca de tiros e um sargento da Polícia Militar foi morto com um tiro na cabeça. Em março, o criminoso foi localizado no interior de São Paulo, mas escapou do cerco. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.