Condenada mulher pela morte da ex

Pela primeira vez, uma mulher foi condenada pela Lei Maria da Penha pelo assassinato da ex-namorada. O crime aconteceu em 28 de fevereiro de 2010, perto da residência da vítima, no bairro Terra Firme, em Belém (PA).

O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2012 | 03h02

Adriana da Costa Ribeiro, de 22 anos, foi acusada de matar com uma facada no pescoço a ex-namorada A.P.G.S., de 15. Após seis horas de julgamento, presidido pela juíza Fabíola Urbinati Maroja, os jurados da 2.ª Vara de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher condenaram Adriana a 14 anos de reclusão.

Como se tratou de violência contra a mulher, a juíza usou a Lei Maria da Penha para ampliar a pena em 6 meses. "É o primeiro caso assim no Brasil", disse Fabíola.

"O crime foi cometido por motivo fútil, uma vez que a acusada não se conformava com o término do relacionamento com a vítima e pelo fato de ela estar mantendo relação amorosa com um rapaz", afirmou o promotor Franklin Lobato Prado. A ré alegou que matou em legítima defesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.