Concreto cai de viaduto em pista da 23 Passeio da Remédios ruiu

Pedaço atingiu táxi na madrugada de ontem e deixou motorista e quatro passageiros feridos; Prefeitura atribui acidente a infiltração

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

03 Março 2012 | 03h03

Um pedaço de concreto do Viaduto Brigadeiro Luís Antônio, que fica sobre a Avenida 23 de Maio, uma das mais movimentadas de São Paulo, desabou em cima de um táxi, na madrugada de anteontem. O motorista e os quatro passageiros do veículo tiveram ferimentos leves. O viaduto havia passado por uma vistoria no fim do ano passado e não teve nenhum problema detectado, segundo a Prefeitura.

O acidente aconteceu por volta da 1h, quando o taxista Cristian Martins Gomes passava pela 23 de Maio, na altura da Rua Santo Amaro, com os passageiros Vicente, Farley, Thiago e Ednardo - eles registraram um boletim de ocorrência no 8.º DP (Brás/Belém). O pedaço de concreto atingiu o para-brisa do carro, um Astra. Todos, com exceção de Thiago, foram levados para o Hospital Beneficência Portuguesa e liberados em seguida.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) bloqueou duas das três faixas da 23 de Maio, sentido Aeroporto de Congonhas, entre 1h10 e 4h15. Depois, para retirar o bloco de concreto, interditou totalmente o mesmo sentido da avenida entre 4h15 e 5h25. O trânsito foi liberado em seguida.

Segundo a Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) da Prefeitura, "provavelmente, uma infiltração atingiu o revestimento (do viaduto), sem danos à estrutura". A administração municipal afirma que, por causa do acidente, novas vistorias serão realizadas para descobrir o que ocorreu e determinar as intervenções necessárias.

Recorrente. É o segundo pedaço de ponte ou viaduto que cai em São Paulo em pouco mais de três meses. Em novembro do ano passado, parte da estrutura da Ponte dos Remédios despencou no Rio Tietê (veja mais ao lado).

A recuperação da ponte havia deixado de integrar o Plano de Metas do governo Gilberto Kassab (PSD) no início daquele mês. Era uma das 30 que o prefeito havia prometido reformar até o fim de seu mandato, neste ano. Agora, está em obras, com o trânsito parcialmente liberado.

A Prefeitura diz que, de 2006 a 2011, foram investidos aproximadamente R$ 120 milhões em obras de manutenção e recuperação de 27 pontes e pontilhões, viadutos, túneis, passagens inferiores e algumas passarelas, das 185 existentes.

Entre os que já receberam obras, estão as Pontes Transamérica, Cruzeiro do Sul e Tatuapé, os Viadutos Conselheiro Carrão, do Café, Florêncio de Abreu, João Julião e Olavo Fontoura.

O Elevado do Glicério e o Costa e Silva também foram contemplados.

À meia-noite do dia 22 de novembro, 30 metros de passeio de pedestres e do gradil da Ponte dos Remédios, no sentido Lapa, despencaram sobre o Rio Tietê. Não houve registro de vítimas. Após o acidente, a expectativa era de seis meses de trabalhos de restauração.

Duas das quatro faixas foram interditadas. No fim de janeiro, foi liberada a terceira faixa, o que permitiu o retorno do tráfego de ônibus.

Passou a ocorrer também inversão de sentidos para dar prioridade ao fluxo nos horários de pico. Das 6 às 10 horas, duas faixas passaram a ser direcionadas por agentes de tráfego no sentido São Paulo; e, das 17h às 20h, para o sentido Osasco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.