ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Concessionárias de rodovias em SP já têm 40 multas neste ano

Punições são por falhas na entrega de obras ou má conservação das vias; metade das empresas já foi autuada em 2016

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2016 | 04h00

Usuários de rodovias paulistas concedidas reclamam de atraso em obras de ampliação e recuperação das pistas e, quando a obra é feita, questionam a qualidade dos serviços. Só neste ano, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) já emitiu 384 notificações e aplicou 40 multas às concessionárias por falhas na entregas de projetos, cronograma de obras e conservação de vias.

Quase um terço das notificações refere-se a duplicações, construção de marginais, passarelas e faixas adicionais não começadas, iniciadas com atraso, ou ainda concluídas fora do prazo. As multas, no valor total de R$ 5,7 milhões, são referentes a notificações emitidas entre 2009 e 2014. Nove das 18 concessionárias foram multadas este ano. Segundo a Artesp, na maioria dos casos a falha que originou a multa já foi sanada.

As dez melhores rodovias do Brasil estão em São Paulo e todas são administradas por concessionárias, segundo ranking deste ano da Confederação Nacional do Transporte (CNT). 

Isso não impede que os motoristas tenham queixas de estradas que estão nesse ranking, como a Castelo Branco. Obras de recuperação do pavimento realizadas entre São Paulo e Sorocaba deixaram a rodovia pior do que estava, segundo usuários.

Os serviços foram feitos entre o km 33 e o km 79, nas duas pistas. “Ficou ruim, parecendo uma colcha de retalhos. Falta uniformidade, faltou nivelamento, não gostei nada”, afirma o advogado Jorge Sil, de Sorocaba, que viaja para a capital quase todos os dias.

A CCR Viaoeste informou que a recuperação da Castelo não está concluída e deve terminar em março. A intervenção é feita em duas fases: na primeira, é realizado levantamento para identificar os trechos que estão fora dos padrões exigidos em contrato. Em seguida, é executada a correção das irregularidades pontuais por meio de fresagem e aplicação de nova camada de pavimento. A Artesp disse que os serviços são feitos segundo o projeto aprovado. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.