Concessionária negocia com o governo aumento do pedágio na Régis

Autopista argumenta que duplicação na Serra do Cafezal é muito mais cara do que a prevista no contrato original, assinado há cinco anos

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2013 | 12h17

SÃO PAULO - A Arteris, dona da concessão da Régis Bittencourt entre São Paulo e Curitiba, negocia com o governo o reajuste nas tarifas de pedágio em razão de mudanças no projeto de duplicação de 30,5 quilômetros na Serra do Cafezal.

Segundo a concessionária Autopista Régis Bittencourt, empresa da Arteris que administra diretamente a estrada, a obra que está sendo executada é muito mais cara do que a prevista no contrato original, assinado há cinco anos.

O superintendente da Autopista Régis, Eneo Palazzi, disse que o impacto na tarifa atual será pequeno, mas o porcentual do aumento não foi revelado. O pedágio cobrado hoje é de R$ 1,80 para veículos de passeio ou por eixo de caminhões. Motos pagam metade.

As obras de duplicação serão concluídas até fevereiro de 2017.

Mais conteúdo sobre:
régisduplicação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.