Computadores são furtados de hotel de luxo

5 tablets e 2 notebooks foram levados durante encontro de jornalistas no Tivoli, nos Jardins

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2012 | 03h05

Um ladrão aproveitou o intervalo para o café de um evento voltado a empresas jornalísticas e furtou cinco tablets e dois notebooks na tarde de anteontem, no Hotel Tivoli, nos Jardins, zona sul de São Paulo. Um homem fotografado por acaso é apontado pela Polícia Civil como suspeito do crime.

"Saí para o café em uma sala ao lado. Não demorei 15 minutos. Quando voltei, meu iPad não estava mais lá", contou o jornalista André Luiz Rodrigues. Ele era uma das cerca de 70 pessoas que estavam no evento organizado pela International Newsmedia Marketing Association (INMA). "Ele levou MacBook, iPad, não levou nenhum PC", disse Rodrigues.

De acordo com o jornalista, ele e as outras vítimas não viram o ladrão. "Foi muito rápido. Um chileno que estava lá saiu só por cinco minutos e teve o MacBook dele levado", disse.

O delegado Aloízio Pires de Araújo, titular da 1.ª Delegacia de Atendimento ao Turista de São Paulo (Deatur), afirmou que um homem que estava no local sem crachá do encontro e não trabalha no hotel foi fotografado na cena do crime. "Alguém que estava no evento fez essa foto, que mostra o rosto dele no fundo", explicou.

De acordo com o boletim de ocorrência, o circuito de câmeras do hotel flagrou o homem entrando e saindo com uma mala. No entanto, as imagens não eram nítidas.

Na foto, o homem aparece usando uma camisa esporte de cor clara. Ele é moreno, de cabelos curtos e aparenta ter cerca de 30 anos.

A polícia preferiu não divulgar a foto porque ainda não tem certeza de que se trata do ladrão. A imagem, no entanto, será espalhada por setores de segurança de hotéis da capital para evitar que o criminoso faça novas vítimas.

A polícia informou que o hotel tinha seguro e a vítima entrevistada pelo Estado disse que o estabelecimento prometeu ressarciria os bens furtados. Quatro vítimas são brasileiras e uma é chilena.

O Hotel Tivoli afirmou, em nota, que lamenta o ocorrido. "O hotel reforça que está dando todo o apoio e colaborando com as autoridades competentes nas investigações", afirma o comunicado do hotel.

Crimes. O delegado Araújo afirma que, neste ano, já foram presos cerca de 30 ladrões que atuam furtando computadores e bagagens em eventos, aeroportos e hotéis da cidade.

Na maioria das vezes, os ladrões são estrangeiros, geralmente reincidentes, e usam identidade falsa. Muitas vezes, os criminosos agem em grupo. Enquanto um chama a atenção da vítima de alguma maneira, o outro aproveita para furtar. Em algumas imagens, é possível ver criminosos utilizando sobretudos para cobrir as bagagens das pessoas e depois furtá-las.

Os bandidos se aproveitam da distração das vítimas em locais de grande circulação. Por isso, a polícia recomenda que a população fique sempre de olho nos seus bens e evite deixá-los sem ninguém tomando conta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.