Compositor de tema de SP está internado

Billy Blanco, músico paraense que compôs a Sinfonia Paulistana

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2010 | 00h00

"Vambora, vambora, olha a hora, vambora", diz o refrão que mais define o paulistano. O tema de São Paulo está na Sinfonia Paulistana, composição de 1974 do paraense Billy Blanco. Aos 86 anos, estava em plena atividade até dois meses atrás, quando sofreu um derrame e permanece internado no Hospital Panamericano, no Rio.

"Billy não é de São Paulo, mas ama a cidade. Qualquer paulistano que não conheça sua obra, não teve a formação completa como paulistano", afirma o filho Paulo Aranha. Segundo ele, o pai estava com os dias cheios. "Continuava compondo e trabalhando." Tinha acabado de compor uma música para o Pelé.

William Blanco Trindade nasceu em Belém em 1924 e chegou a São Paulo nos anos 1940. Estudou Arquitetura no Mackenzie, mas logo se envolveu com a música. Mudou para o Rio no fim da mesma década e começou a conviver com figuras como Radamés Gnattali e Tom Jobim.

A Sinfonia Paulistana, com 15 músicas, levou 10 anos para ser composta. A mais famosa das canções diz que "a cidade não desperta, apenas acerta a sua posição" e se mistura com o dia a dia da metrópole: desde 1974, faz parte da vinheta do Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan. O quadro clínico de Billy é estável. Como sequela, porém, ele não consegue se comunicar com palavras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.