Comissária morta no vôo 3054 é enterrada no interior de SP

Corpo de Aline Monteiro Castigio foi identificado no último domingo no Instituto Médico-Legal de São Paulo

Brás Henrique, do Estadão,

30 de julho de 2007 | 15h36

A família da comissária de bordo Aline Monteiro Castigio, que completaria 29 anos no último dia 24, ficou aliviada nesta segunda-feira, 30, pois pôde sepultar o corpo dela no Cemitério Bom Pastor, em Ribeirão Preto. Os pais Antônio Carlos e Ana Maria estavam agoniados sem a identificação do corpo da filha, o que ocorreu no domingo, no Instituto Médico-Legal (IML) de São Paulo.Aline é uma das 199 vítimas do vôo 3054, da TAM, que não conseguiu terminar o pouso na pista do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em 17 de julho.Para auxiliar na identificação do corpo da comissária, os familiares forneceram ao IML amostras de sangue de parentes, documentações médicas e odontológicas de Aline e a informação de que ela tinha um piercing no umbigo. Embora fosse funcionária da TAM, Aline estava de férias e a passeio numa cidade do interior gaúcho, onde foi para o aniversário da mãe de uma colega de serviço, que também faleceu no acidente.A outra vítima da região de Ribeirão Preto, o engenheiro de produção Fernando Volpe Estato, de 35 anos, foi um dos primeiros identificados. O corpo dele foi sepultado em Bebedouro, onde mora seu pai. Estato voltaria no avião seguinte para São Paulo, mas antecipou o vôo e morreu.

Tudo o que sabemos sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.