Comércio popular de SP espera 830 mil consumidores no sábado

Associação de Lojistas do Brás espera 350 mil pessoas neste sábado, com um aumento de 8% nas vendas de 2007

Amanda Valeri, da Agência Estado,

20 de março de 2008 | 17h52

Os comerciantes das regiões da Rua 25 de Março, Brás e Bom Retiro, centros populares de compra da capital paulista, esperam receber cerca de 830 mil consumidores no sábado, 22, véspera de Páscoa. Apesar do maior impacto da data para o setor alimentício, com destaque para as vendas de chocolate, ela também é importante para o varejo como um todo. A União dos Lojistas da 25 de Março e Adjacências (Univinco) estima que 400 mil consumidores circulem pelo mais famoso centro popular de compras do Brasil neste Sábado de Aleluia.  "As pessoas aproveitam o feriado prolongado para fazer compras, numa espécie de turismo de compras", afirmou o presidente da Univinco, Miguel Jorge Junior. O setor de insumos para a festa de Páscoa, que abrange produtos como papel celofane, objetos de decoração, ingredientes para fazer a cesta da data, deve ser o mais beneficiado de acordo com Jorge Júnior. A associação não tem uma projeção de crescimento das vendas para a data. A previsão de bom tempo para os próximos dias na capital paulista deve ajudar a levar para as ruas os interessados nas novidades da moda outono-inverno, que já estão nas vitrines do Bom Retiro e do Brás.  A Associação de Lojistas do Brás (Alobrás) espera 350 mil pessoas neste sábado, com um aumento de 8% nas vendas sobre o mesmo período de 2007. "A Páscoa não influencia diretamente no comércio de roupa, mas como a data coincide com o lançamento de coleção, acabará proporcionando um movimento extra na região", disse o diretor de relações públicas da associação, Jean Makdissi Junior. "Por ser um feriado prolongado, as pessoas aproveitam o sábado para fazer compras", disse. A estimativa da Câmara de Dirigentes de Lojistas (CDL) do Bom Retiro é que 85 mil pessoas visitem a região para conferir o que há de novo nas vitrines. "Sempre que tem um feriado prolongado, os lojistas da região registram um movimento mais intenso. Neste ano esperamos que as vendas cresçam pelo menos 1% em relação à Páscoa do ano passado", disse a secretária executiva da CDL do Bom Retiro, Kelly Cristina Lopes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.