Comerciantes da noite tentam se adaptar à Lei Seca

Convênios com taxistas, mototáxis e manobristas são alguns dos serviços oferecidos para manter clientes

Jair Aceituno, especial para o Estado,

01 de julho de 2008 | 15h13

Os donos de bares, restaurantes, boates e outros estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas em Bauru estão buscando medidas compensatórias para as restrições criadas com a lei federal nº 11.705, a "lei seca", que prevê multa de R$ 955,00, apreensão do veículo, perda da carteira e até prisão para quem dirigir sob o efeito de álcool. Uma choperia já fez convênio com taxistas para que estes fiquem de plantão e levem para casa os clientes impedidos de dirigir. Uma boate terá manobrista para guiar o carro do cliente até o seu endereço e depois voltar de táxi, mediante o pagamento da corrida pelo interessado. Também há a proposta de manter o mototaxi como cortesia. Pedro Franciscato Pasin, dono de um bar da moda, disse que vai providenciar motorista para levar os clientes de volta para casa. Está estudando a forma de absorver o custo desse serviço adicional, mas defende a eliminação da mistura perigosa de álcool com volante. "Nosso trabalho também é conscientizar o freqüentador de nossa casa de que não pode beber e dirigir" - disse.  Segundo Sidney Pavan Fernandes, dono de outra casa noturna, a entrada em vigor da lei seca diminuiu bastante o consumo de bebidas e os empresários da área terão de encontrar um meio para evitar essa evasão de clientela e consumo. Ele pensa na contratação de motoristas que possuam veículos grandes e possam levar vários clientes de uma vez. O taxista Vanderlei Dionísio, que trabalha à noite, disse que na última semana o seu serviço aumentou 30% e espera aumento ainda maior de corridas se a polícia realmente fiscalizar o cumprimento da lei seca. A classe está dividida quanto ao aumento de trabalho, mas todos esperam que isso aconteça. Há casos em que grupos de amigos já pensam em contratar os serviços de uma "van" para levá-los e trazê-los da balada.

Tudo o que sabemos sobre:
lei secasão paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.