Comerciante de SP é condenado por tráfico de pessoas

Homem cobrou para levar 8 brasileiros à Inglaterra, prometendo emprego, moradia e documentos oficiais, porém chegando lá, vítimas não receberam ajuda e acabaram deportados

Solange Spigliatti, Central de Notícias

08 Fevereiro 2011 | 14h35

SÃO PAULO - A Justiça Federal de Sorocaba, no interior de São Paulo, condenou a cinco anos de prisão o comerciante Airton Oliveira Gomes. Ele foi considerado culpado dos crimes de tráfico de pessoas e estelionato.

Gomes cobrou para levar oito brasileiros à Inglaterra, prometendo-lhes empregos registrados, moradia e documentos oficiais. Mas, quando chegaram ao Reino Unido, as vítimas não receberam casa, tiveram de trabalhar clandestinamente e acabaram deportadas. O comerciante foi denunciado à Justiça em 2006 pelo Ministério Público Federal. O juiz federal Marcos Alves Tavares determinou ainda a aplicação de multa e que o acusado pague os prejuízos das vítimas, avaliados em quase R$ 31 mil. O réu poderá recorrer da sentença em liberdade.

O comerciante atraiu as vítimas por meio de uma palestra, na qual disse contratar trabalhadores para empresas do Reino Unido. Os trabalhadores, a maioria deles da cidade de Itapetininga, contaram à Justiça que o estelionatário lhes prometeu salários de US$ 2 mil, moradia, transporte e ajuda na chegada a Inglaterra. Na verdade, ao chegar lá eles receberam documentos de trabalhadores portugueses. Cada um recebia R$ 500 por semana e trabalhava em várias empresas diferentes. Após 2 meses e meio, as autoridades britânicas descobriram, prenderam e deportaram os brasileiros.

Mais conteúdo sobre:
tráfico de pessoas comerciante SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.